13 de julho de 2022

PF INVESTIGA SUSPEITO DE ALICIAR CRIANÇAS ATRAVÉS DA INTERNET NO RN

A Polícia Federal cumpriu, na última sexta-feira, (08), um mandado de busca e apreensão na cidade de Palmas, expedido pelo juiz da 8ª Vara Federal/RN, visando instruir investigação conduzida na delegacia da PF em Mossoró/RN, que identificou um indivíduo responsável pelo aliciamento de crianças e que exigia ofornecimento de imagens e vídeos, em que elas teriam que figurar desnudas e em poses sensuais. Para tanto, o indivíduo oferecia remuneração indireta às crianças, como o pagamento de jogos na internet e lanches. 


Durante as buscas, foi apreendido o aparelho celular do acusado, o qual passará por perícia. 


O juiz da 8ª Vara Federal/RN também determinou o bloqueio das contas bancárias do investigado.


O inquérito policial terá continuidade com o propósito de identificar outras possíveis vítimas dessa prática criminosa.

OPERAÇÃO DA PF COMBATE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA ESPECIALIZADA NO TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS QUE AGIA EM PORTOS DO BRASIL E DO EXTERIOR

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira, (13), a Operação Maritimum visando desarticular organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro que atuava nos terminais portuários do Nordeste e Sudeste, principalmente, tendo como bases as regiões de Natal/RN, Salvador/BA e Baixada Santista.


Cerca de 350 policiais federais, 20 policiais do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio Grande do Norte (BOPE-PM/RN) e 8 policiais penais do RN estão cumprindo 46 mandados de prisão preventiva e 90 mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal/RN nos estados do Rio Grande do Norte, São Paulo, Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro, Ceará e Pará. Na operação, a PF também conta com apoio do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP/RN).


Durante as investigações, iniciadas no final de 2021, foi identificado um grupo logístico responsável pelo transporte e armazenamento da droga oriunda da fronteira do Brasil com os países produtores e, em seguida, realizada a “contaminação” de contêineres, ou seja, introduziam entorpecentes nas cargas de frutas e outras mercadorias que teriam como destino os portos da Europa.


Durante o transcorrer do Inquérito Policial foram realizadas apreensões de drogas nos Portos de Santos/SP, Salvador/BA, Natal/RN, Fortaleza/CE e Barcarena/PA, além da interceptação de cargas nos países europeus de destino (Bélgica, França e Países Baixos), totalizando cerca de 8 toneladas de
cocaína apreendidas durante o curso da investigação.


A Polícia Federal também identificou que três dos maiores traficantes em atividade no Brasil eram os destinatários dessa droga no exterior, um deles preso recentemente na Hungria.


Além dos integrantes do núcleo operacional da quadrilha, diversas pessoas físicas e empresas foram utilizadas para lavar o dinheiro do crime, ocultando e dissimulando a origem dos valores ilícitos com o objetivo de criar uma rede estruturada de tráfico internacional de drogas por intermédio da exportação
de mercadorias. Nesse ponto, foi deferido o bloqueio do valor de R$ 169,6 milhões nas contas bancárias dos investigados.


Os presos nesta operação estão sendo encaminhados para as sedes da Polícia Federal no Rio Grande do Norte, São Paulo, Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro, Ceará e Pará, e responderão na medida das suas participações, pelos crimes de integrar organização criminosa (art. 2º da Lei nº 12.850/2013); tráfico internacional de drogas (art. 33, caput c/c 40, inciso I, da Lei 11.343/2006) e lavagem de dinheiro (art. 1º da Lei 9.613/1988), dentre outros em apuração.


O nome da Operação “Maritimum” é uma alusão ao modus operandi da organização criminosa que utilizava o transporte marítimo para exportar a cocaína aos portos europeus.

GOVERNO APROVA DE GOLEADA A PEC DAS BONDADES: 393 A 14 VOTOS

A Câmara aprovou com 393 votos favoráveis a PEC dos auxílios e apenas 14 contra em verdadeira goleada da base do governo, que poderá transferir R$41 bilhões para os mais necessitados enfrentarem a crise.

 

Na prática, a medida permite ao governo ampliar benefícios sociais que não seriam autorizados em ano eleitoral, como o Auxílio Brasil e auxílio para caminhoneiros e taxistas. 

 

O texto ainda visa estabelecer, na Constituição, o regime fiscal diferenciado para os biocombustíveis, com vantagens em relação aos combustíveis fósseis. 
 
 
Pelo texto, está previsto o estado de emergência no País até 31 de dezembro, justificado pela elevação “extraordinária e imprevisível” dos preços do petróleo, combustíveis e seus impactos sociais.
 

Esse trecho (estado de emergência) é tema de destaque apresentado pela oposição e que ainda será apreciado pelo plenário. 

 

A sessão de hoje foi suspensa por “fator técnico relevante” devido a dois servidores que caíram e intermitência da internet e será retomada amanhã.

 

PRF ANUNCIA LEILÃO DE 366 CARROS E MOTOS NO RN

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou para os dias 19 e 21 de julho um leilão de 366 carros e motos retidos no Rio Grande do Norte.

 

Parte dos veículos disponibilizados poderão entrar em circulação, enquanto outros devem ser destinados à sucata. Os produtos estão distribuídos em 259 lotes.

 

O edital do leilão foi publicado e está disponível no site do leiloeiro, segundo a PRF. O documento apresenta os detalhes dos veículos, os locais para a visitação, os lances iniciais, além de direitos e responsabilidades dos arrematantes. Os lotes estão disponíveis à visitação em pátios em Natal, Caicó e Mossoró.

MORAES NEGA SUSPENDER DECRETO QUE OBRIGA POSTOS A COMPARAR PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS

O ministro Alexandre de Moraes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou nesta terça-feira (12) um pedido para suspender decreto publicado pelo governo federal que obriga todos os postos de combustíveis a exibir os preços praticados no dia 22 de junho de 2022 numa comparação com os valores atuais.

 

O texto foi editado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) na semana passada e obriga os postos a exibir os preços dos combustíveis antes e depois da lei que impôs teto de 17% no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

 

A ação foi apresentada ao TSE pelo deputado Elias Vaz (PSB-GO). O parlamentar argumentou que a medida é eleitoral e ofende a isonomia entre os candidatos, além de o violar o princípio da legalidade, pois extrapola o poder regulamentar do chefe do Executivo.

 


‘COMO OUSA COMPARAR ISRAEL A HITLER?’, DIZ CHANCELER SOBRE LULA

Declarado persona non grata em território israelense por causa de sua declaração antissemita contra o Estado de Israel, no domingo (18),...