24 de julho de 2021

INVESTIGAÇÃO DEVE COMEÇAR DENTRO DE CASA, DIZ DELEGADO SOBRE JOICE

No estranhíssimo caso da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), algo é indiscutível: ela foi covardemente espancada. O problema é sua versão inverossímil. Delegado de classe especial da Polícia Civil do DF, Miguel Lucena tem uma opinião: “Em tese, a investigação deve começar dentro de casa”. A deputada relatou que via TV e, de repente, acordou-se no chão da área íntima do apartamento com o rosto ensanguentado. O marido e a empregada estavam em casa. Ninguém viu nada. Nem Joice.

 

O trabalho de perícia criminal determinaria onde foram produzidas as lesões que provocam cortes, hematomas e cinco fraturas no rosto.

 

O crime contra a deputada é investigação para a Polícia Judiciária, seja Civil ou Federal. Polícia Legislativa não tem expertise nessa área.

 

Em vez de chamar a Polícia Civil do DF ou a Polícia Federal, ela pediu ao presidente da Câmara, Arthur Lira, para acionar a Polícia Legislativa.

 

Deputada com dificuldades de se reeleger, Hasselmann logo adotou a versão de “atentado político”. É crime de competência da Polícia Federal.

ATENÇÃO! AGENDA ECON/PARELHAS DE 26 A 31 DE JULHO

A ECON, (soluções para empresas e pessoas), de Parelhas/RN, divulga agenda de atendimentos, constando datas, e tipos de especialidades dos seus profissionais, de 26 a 31 de Julho.

 

 


BOLSONARO VETA PROJETO PETISTA PARA DAR DINHEIRO PÚBLICO A ONGS

O presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar integralmente o Projeto de Lei 4.113/2020, que visava assegurar o repasse de ao menos 70% dos recursos previstos para parcerias com o terceiro setor durante a pandemia de covid-19. A intenção da proposta era evitar que os repasses públicos para as organizações não governamentais (ONGs) fossem congelados ou interrompidos. 

 

O projeto era de autoria da bancada do PT, de notórias ligações às ONGs, que, apesar de “não governamentais”, vivem de repasses dos cofres públicos. 

 

A matéria foi aprovada pelo Senado em 29 de junho e seguiu para sanção. O Executivo, no entanto, alegou inconstitucionalidade e contrariedade ao interesse público para instituir o veto, que está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (23). 

 

Segundo o Palácio do Planalto, apesar de meritória, a proposta causaria insegurança jurídica ao pretender regular ajustes negociais ocorridos em momento anterior à data de edição da lei sugerida, “medidas essas que só poderiam ser adotadas no plano material e examinadas em caso concreto”. 

 

Além disso, conforme a justificativa do veto, a proposição contraria o interesse público, “uma vez que afasta indevidamente a realização do chamamento público, além de ter incidência ampla, de forma a alcançar, indistintamente, ajustes, prazos e metas que, em princípio, não possuem indícios de que teriam sido impactados pela pandemia de covid-19”. 

 

O governo alega ainda que a matéria criaria despesa obrigatória sem apresentar a estimativa do impacto orçamentário e financeiro e que o escopo do texto é amplo, “atingindo parceiras celebradas com entidades públicas e privadas por meio de contratos de gestão, termos de parceria, termos de colaboração e fomento e convênios”.

HOMENS ARMADOS INVADEM CASA DE COMERCIANTE SERIDOENSE E LEVAM 80 MIL REAIS EM DINHEIRO E CELULARES

Um assalto à residência de um comerciante na cidade de Caicó rendeu para uma quadrilha cerca de 80 mil reais. O crime aconteceu nesta sexta-feira, (23), quando pelo menos 4 elementos chegaram e invadiram a residência e consumaram o roubo.

 

Segundo informações, a quadrilha que estaria em um veículo modelo Celta, de cor preta, conseguiu fugir por destino ignorado, apesar das barreiras feitas pela polícia nas vias de acesso à cidade. Câmeras de segurança gravaram o carro da quadrilha trafegando pela cidade, o que pode ajudar a polícia nas investigações.

 

Do Blog: Fita dada!

VIVALDO COSTA VOLTA À AL/RN PARA SEU 14º MANDATO NA PRÓXIMA SEMANA

O Papa Jerimum, Vivaldo Costa (PV), assumirá sua cadeira na assembleia legislativa do RN pela 14ª vez.   Vivaldo Costa assumirá a vaga do en...