5 de março de 2023

“ACUSADO DE UM PRESENTE QUE NÃO PEDI”, DIZ BOLSONARO SOBRE JOIAS

O ex-presidente Jair Bolsonaro negou que as joias dadas de presente pelo governo da Arábia Saudita foram trazidas ao Brasil de forma ilegal. Em entrevista à CNN Brasil, ele afirmou que não existe qualquer ilegalidade por parte dele. 

 

“Estou sendo acusado de um presente que eu não pedi, nem recebi. Não existe qualquer ilegalidade da minha parte. Nunca pratiquei ilegalidade. Veja o meu cartão corporativo pessoal. Nunca saquei, nem paguei nenhum centavo nesse cartão”, disse.

 

Documentos obtidos por O Antagonista mostram que o governo de Jair Bolsonaro tentou reaver um conjunto de joias presenteadas pelo governo da Arábia Saudita em 2021 para que os objetos fossem analisados para a incorporação ao acervo presidencial.

IGNORAR LISTA TRÍPLICE É VINGANÇA DE LULA CONTRA AÇÃO DO MPF NA LAVA JATO

Faz parte do plano de retaliações do presidente Lula (PT) imitar os antecessores Michel Temer e Jair Bolsonaro e ignorar a lista tríplice de uma entidade de procuradores na escolha do futuro procurador-geral da República. 

 

“Não penso mais em lista tríplice”, disse, contando a lorota de que abandonara o cacoete sindicalista. 

 

Lula adquiriu verdadeiro horror ao Ministério Público Federal, que responsabiliza por sua condenação e os 500 dias de cadeia que cumpriu por corrupção e lavagem de dinheiro. 

 

Lula acha que os procuradores tinham a obrigação de serem camaradas com ele, por haver observado as listas tríplices que eles votavam. 

 

O auge do ódio foi quando procurador Deltan Dallagnol usou o programa Power Point, popular em escolas, para expor falcatruas atribuídas a Lula. 

 

A lista tríplice é até ilegal, como o desembargador federal aposentado Fábio Prieto, hoje secretário de Justiça de São Paulo, sempre sustentou.

CRIANÇA DE 6 ANOS E HOMEM SÃO MORTOS A TIROS NO RN; IDOSO E OUTRO HOMEM FORAM BALEADOS

Uma criança de 6 anos  e um homem de 29 morreram a tiros neste fim de semana no bairro Dix-Sept Rosado, em Natal.    Além dos mortos, Abne...