20 de outubro de 2010

GOVERNADORA ELEITA ROSALBA CIARLINI PUBLICA NOTA DE PESAR

NOTA DE PESAR

Recebi com surpresa a notícia do falecimento do jornalista F. Gomes. Uma pessoa que aprendi admirar, por sua ética e talento. Desejo força, luz e fé a toda família do profissional da comunicação, que aprendeu sozinho a fazer um jornalismo sério e corajoso.

Lembro-me do nosso último encontro. Foi nesse ano, em Jucurutu, quando visitei o encontro de Jipeiros. Na oportunidade estava acontecendo o IV Desafio da Serra João do Vale. O evento impulsiona o turismo da região. F. Gomes me entrevistou e levou ao ar notícias fidedignas do nosso encontro com os amigos seridoenses.

Rosalba Ciarlini
Senadora da República/ Governadora eleita do RN.


ASSASSINO DIZ QUE MATOU F. GOMES POR VINGANÇA

Vingança. Este foi o motivo revelado pelo desempregado João Francisco dos Santos para assassinar o jornalista Francisco Gomes de Medeiros, com reconhecida atuação na região do Seridó e conhecido em todo o estado como F. Gomes. Após vários depoimentos ao delegado Ronaldo Gomes, que preside o inquérito acerca do crime, Dão, como é conhecido o criminoso, afirmou que já havia jurado o comunicador de morte desde 2007, quando foi preso por roubo qualificado.



Segundo o depoimento que Dão prestou ao delegado Ronaldo Gomes, F. Gomes teria dadop grande visibilidade ao crime praticado por ele e, supostamente por esse motivo, a Justiça teria decidido manter o criminoso em regime fechado durante um ano e meio, e não sete meses, como esperava Dão. Com esse argumento, ele afirmou que iniciou o “plano” para matar F. Gomes.

Garantindo que sua mulher não sabia sobre o plano de matar o jornalista, Dão disse que passou 30 dias acompanhando a rotina de F. Gomes e sabendo que ele tinha hábito de ficar na calçada com amigos no início da noite. Depois disso, ele comprou uma arma em Caicó e decidiu executar o jornalista na noite de segunda-feira (18). Porém, ele deixou pistas do homicídio.


O delegado Ronaldo Gomes explicou que Dão foi solto no início da madrugada porque, naquele momento, não havia indícios de que ele seria o autor dos disparos que mataram F. Gomes. No entanto, depois que a polícia encontrou a jaqueta, calça, sandália e camisas do suspeito no bairro Paraíba, foi possível identificar o criminoso.

O pedido de prisão temporária de 30 dias foi acatado pela Justiça, com a possibilidade de mais 30 dias. Sob os gritos de assassino, Dão foi conduzido da delegacia para o Presídio Estadual do Seridó, o chamado Pereirão.

Dúvida:


Mesmo com a confissão e versão de Dão sobre o crime, Ronaldo Gomes garantiu que a investigação vai continuar porque o depoimento sobre o caso foi “muito simples”. A possibilidade de que o crime estivesse ligado à denúncia de compra de votos com crack está descartada, mas ainda há a possibilidade de que haja um mandante para o crime.


O traficante e assaltante Valdir Souza do Nascimento, preso em Alcaçuz, teria ligação com Dão e também já havia ameaçado F. Gomes de morte. Segundo informações de Caicó, Dão já teria cumprido algumas ordens de Valdir e, mesmo preso, há investigação se ele foi o mandante do crime.


Fonte: Cardoso Silva.

LULA VOLTA A ATACAR CAMPOS NETO, ELEITO MELHOR PRESIDENTE DE BC DO MUNDO

Incomodado com a tendência de estagnação da taxa de juros e com a presença do chefe do Banco Central em jantar promovido pelo governador d...