28 de outubro de 2017

INACREDITÁVEL! MULHER CAI DO 13º ANDAR DE HOTEL NO PA E SOBREVIVE

Uma mulher caiu do 13º andar de um hotel localizado na travessa Alferes Costa, em Belém, entre a avenida Duque de Caxias e a travessa 25 de setembro, na tarde desta sexta-feira (27). A mulher, que foi regatada pelo Corpo de Bombeiros, sobreviveu à queda.
 
 
 
 
Segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), a mulher caiu do 13º andar e após o resgate foi levada por uma ambulância do Samu para o Hospital Metropolitano, na BR-316.
 
 
 
 
 
Em nota, o hospital informou que a paciente segue internada na unidade e seu estado de saúde é considerado grave. Não há previsão de alta médica.
 
 
 
 
Segundo informações do subtenente Barroso, do Comando Geral do Corpo de Bombeiros, que atuou nos primeiros socorros da vítima, a mulher sofreu várias escoriações e quebrou várias partes do corpo, entre elas a bacia e os braços. Ainda de acordo com o subtenente, a mulher reside em Belém.
 
 
 
 
Ainda não há informações sobre o que ocasionou a queda. A Polícia ainda investiga o caso.

“BACURAU NA GAIOLA”! PF SUSPEITA QUE HENRIQUE EDUARDO ALVES USOU ATESTADO FALSO PARA IMPEDIR TRANSFERÊNCIA PARA BRASÍLIA

 O ex-ministro Henrique Eduardo Alves teria usado um atestado falso para evitar sua transferência de Natal, onde está preso, para Brasília. A informação está na decisão que autorizou a Operação Lavat, deflagrada na manhã desta quinta-feira (26) no RN e no Distrito Federal. A defesa de Henrique Alves nega e classifica como “infâmia” a acusação.
 
 
 
 
 
 
 
De acordo com o que alega a Polícia Federal, com base em escutas autorizadas pela Justiça, a esposa do ex-ministro, Laurita Arruda, seria a responsável por conseguir o atestado médico fajuto. Em uma conversa gravada, um empregado de Henrique Alves teria dito à filha dele que os problemas médicos pelos quais o ex-ministro estava passando eram uma mentira “criada com o propósito de 'botar pressão'”.


 
 
 
 
 
 
"Essa conversa revela que Laurita Arruda buscou médico para obter atestado falso a fim de impedir a transferência de seu marido, Henrique Alves, para Brasília", afirma a PF no relatório.
 
 
 
 
 
Henrique Eduardo Alves permanece preso na Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, desde a deflagração da Operação Manus, que investiga corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal.
 
 
 
 
 
A defesa do ex-ministro confirma que um médico concedeu a ele um atestado, contudo diz que o há como provar que Henrique sofre de enfermidade fisioterapêutica e que a prescrição médica é verdadeira. “Basta uma consulta ao controle de entrada da Academia de Polícia para constatar a visita periódica de fisioterapeuta para tratamento de sua enfermidade”, diz a nota enviada pelos advogados.
 
 
 
 
 
Os advogados também dizem que a defesa apresentou resposta em que refuta “com provas e documentos” todas as acusações.

EM PEDIDO DE LIMINAR, DESEMBARGADOR CLÁUDIO SANTOS DEVOLVE À BANDIDOS PRESOS NO RN DIREITO DE VISITAS

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte derrubou a portaria da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) que suspendia as visitas nas unidades prisionais do Estado. A decisão foi tomada nesta sexta-feira (27) pelo desembargador Cláudio Santos, que integra a Corte do TJRN.
 
 
 
 
Cláudio Santos atendeu ao pedido de liminar para tornar sem efeito a determinação veiculada na Portaria nº 656/2017, a qual suspendia, pelo período de 30 dias, o direito de alguns detentos a visitas sociais e íntimas.
 
 
 
De acordo com a assessoria de comunicação do TJ, os presos, representados pelo advogado Thiago Albuquerque Barbosa de Sá, moveram o Mandado de Segurança, atendido no TJRN e que beneficia não apenas aos autores do pedido, mas a todos os que estão reclusos no sistema penitenciário estadual.
 
 
 
 
A defesa, dentre as alegações, ressalta que a suspensão das visitas sociais e íntimas em todas as unidades prisionais do Rio Grande do Norte é “demasiadamente genérica”, pois não individualiza as condutas dos internos que deram ensejo à medida, atingindo-se, assim, indistintamente, todos os detentos, presidiários, recolhidos no Estado.
 
 
 
 
A medida é desumana, ilegal, desnecessária, retrógrada, verdadeira tentativa de retorno às masmorras da idade medieval, agredindo diversos princípios e preceitos da Constituição da República, bem como – e ao Magistrado não é dado desconhecer a realidade”, enfatiza o desembargador Cláudio Santos.
 
 
 
A decisão também considerou que a medida pode parecer retaliação contra a comunidade presidiária, diante do que definiu como “lamentáveis ocorrências no seio da administração penitenciária”.
 
 
 
O julgamento também considerou como ofensa, tanto ao ordenamento jurídico-penal, quanto a direitos e garantias fundamentais encartados na Constituição Federal, bem como em diplomas internacionais dos quais o Brasil é signatário, que tratam sobre direitos humanos. “Ao estabelecer os direitos e deveres individuais e coletivos (CF, artigo 5º), o legislador constituinte prescreveu que ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante (inciso III), sendo assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral (inciso XLIX)”, afirma Santos.
 
 
 
O desembargador também destacou a Convenção Americana Sobre Direitos Humanos (Pacto de São José da Costa Rica), promulgada, no âmbito do Estado Brasileiro, por meio do Decreto 678/92, assim preceitua, no artigo 5º, o qual versa sobre o Direito à Integridade Pessoal.
 
 
 
Segundo o dispositivo, “toda pessoa tem o direito de que se respeite sua integridade física, psíquica e moral. E que ninguém deve ser submetido a torturas, nem a penas ou tratos cruéis, desumanos ou degradantes, bem como que toda pessoa privada da liberdade deve ser tratada com o respeito devido à dignidade inerente ao ser humano".
 
 
 
Cláudio Santos ainda citou os artigos da Lei de Execuções Penais (LEP), dentre os quais rezam que não pode haver falta, nem sanção disciplinar sem expressa e anterior previsão legal ou regulamentar, e que estas sanções não podem colocar em perigo a integridade física e moral do condenado.
 
 
 
 
Do Blog: Precisa dizer que "toda pessoa tem o direito de que se respeite sua integridade física" aos bandidos. São muitos DIREITOS HUMANOS para "Humanos" que não são DIREITOS.
 
 

PRÉDIOS DO IBAMA E ICMBio SÃO INCENDIADOS POR GARIMPEIROS APÓS OPERAÇÃO NO AM

Um grupo de garimpeiros é suspeito de atear fogo em prédios do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Humiatá, no Sul do Amazonas, nesta sexta-feira (27). A ação criminosa ocorreu após uma operação do Ibama apreender balsas usadas em um garimpo.
 
 
 
 
 
 
 
 
A Operação Ouro Fino é realizada pelo Ibama, em conjunto com o ICMBio, desde a quarta-feira (25). A ação fiscaliza a atividade de extração ilegal de ouro no Rio Madeira. Ao todo, 37 balsas de garimpeiros foram apreendidas durante a ação, segundo o agente José Filho, do Ibama.
 
 
 
 
Algumas das balsas recolhidas na operação pegaram fogo nesta tarde. Revoltados, os garimpeiros se reuniram para protestar. Os manifestantes invadiram e incendiaram os prédios do Ibama e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
 
 
 
 
A Força Nacional, que está na cidade para acompanhar a ação do Ibama, tentou conter a manifestação, mas houve confronto.
 
 
 
 
 
Os garimpeiros atribuíram o fogo nas balsas ao grupo de agentes que atua na operação Ouro Fino. Segundo o procurador do Ministério Público Federal (MPF) Aldo de Campos Costa, que acompanha a situação no município, os órgãos ambientais atuaram estritamente dentro da legalidade. 
 
 
Fonte: G1/AM - Foto: Raolin Magalhães/Rede Amazônica.
 

SEGURANÇA É MORTO A TIROS DURANTE ASSALTO EM CIDADE SERIDOENSE

O segurança, identificado como sendo, Juvenal, foi morto a tiro no início da noite desta terça-feira, (27), no centro da cidade de Currais N...