20 de dezembro de 2011

PREFEITO EX-PADRE QUERIA USAR DE CASA DE CARIDADE PARA SE BENEFICIAR POLITICAMENTE

Após um longo período de especulações, ainda mais por se tratar de um investimento que toda comunidade é quem está desenvolvendo através de doações, o blog “Paulinho Barra Pesada” descobriu que o atual prefeito, o ex-padre Jocimar Dantas, queria se meter na construção da casa de caridade que está sendo edificada no alto da caixa d’água, simplesmente com o intuito de se beneficiar politicamente.





A referida casa que teve o terreno doado por uma família que faz parte da Irmandade do Rosário, agora tem uma comissão formada para gerencia a construção, mas já teve pessoas ligadas ao prefeito metendo a “colher”, tentando transformar o local em mais um dos “currais” eleitorais do ex-padre.


Um fato que deixou bem clara a intenção do prefeito foram as declarações de uma pessoa da cidade Parelhas que reza os terços na casa do ex-padre, de que “a casa tinha que ser construída antes da campanha, senão o “padre” ia perder as eleições”, o que deixou todos outros envolvidos indignados, e por isto foram forçados a excluírem o ex-padre do movimento de construção do local.


Por tudo que havia acontecido, e como muitos se negavam a ajudarem na construção por causa das “investidas” do prefeito através de pessoas ligadas a ele, o grupo teve que colocar no local um faixa, para que todos ficassem sabendo que ali não seria mais usado como “curral eleitoral”, como estava sendo planejado pelo prefeito de Jardim do Seridó. “ATO DE DOAÇÃO E CARIDADE. AQUI QUESTÕES PARTIDÁRIAS, NEM FINS LUCRATIVOS”. Diz a faixa.


Vários comentários rondavam a cidade sobre as desavenças que estavam acontecendo, mas tivemos cautela para não envolver ninguém, nem atrapalhar a construção do local, e por isto só agora o fato está sendo trazido a público.


Do Blog: Esse ex-padre é capaz de qualquer coisa para não perder o poder. Vixe Maria, isso é um perigo!




Retrospectiva: IRRESPONSABILIDADE! OBRA PERDIDA POR JOCIMAR DANTAS ERA DE MAIS DE 400 MIL REAIS

Matéria postada em: 15 DE JULHO DE 2011


O convênio para reforma e urbanização da Praça Dr. José Augusto, conseguido pelo ex-prefeito Dr. Edimar Medeiros Dantas, mas que agora foi declarado perdido pelo atual prefeito, o Ex-padre, Jocimar Dantas, era de mais de 400 mil reais.





O mais revoltante é que a contra partida da prefeitura era apenas 12 mil reais, valor irrisório em comparação aos “Rios” de dinheiro que já entraram na prefeitura durante a atual gestão pública, que até o mês de maio havia recebido aproximadamente 25 milhões de reais.


O atual prefeito ainda continua ludibriando o povo em um programa de rádio pago com o dinheiro público, onde é tido como um verdadeiro “Deus”, enquanto o desmantelo toma conta da cidade.


Resta saber se o convênio foi perdido por pura maldade, já que o mesmo foi conseguido pelo ex-prefeito, assim como outros convênios, entre eles a praça do povoado Currais Novos, e a pavimentação de várias ruas da cidade.


Do Blog: Aqui se mostra a verdade, pode acreditar!






CARROS OFICIAIS SERÃO GUARDADOS EM LUGAR SEGURO, OU PREFEITO SERÁ MULTADO EM 10% DE SEU SALÁRIO

Após ter tido um de seus carros oficiais roubados, o prefeito de Caicó, “Bibi Costa”, celebrou com o ministério Público um TAC, que dispõe sobre a regulamentação do uso e guarda de veículos oficiais da cidade, que deverão ser guardados em local apropriado e resguardados de furtos ou roubos, ao término do serviço ou retorno de viagem.


O Prefeito Rivaldo Costa se compromete a realizar essa regulamentação em até 30 dias, e após esse prazo, deverá encaminhar cópia do ato, com comprovação da comunicação a todas as Secretarias Municipais.


Caso o acordo não seja cumprido, será aplicada multa pessoal ao Prefeito, no valor diário de 10% de seu salário.


JUSTIÇA RECEBE DENÚNCIA DO MPF E AFASTA DELEGADO DA POLÍCIA FEDERAL ACUSADO DE COLABORAÇÃO COM O TRÁFICO DE DROGAS

A Justiça Federal recebeu a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal em Mossoró contra o delegado da Polícia Federal Adauto Gomes da Silva Júnior e determinou o seu afastamento imediato do cargo. Além de ficar afastado das funções que exerce na Polícia Federal em Natal, o delegado não terá direito ao recebimento dos proventos.


O delegado é acusado de violação do sigilo funcional e colaboração com o tráfico de drogas. As investigações realizadas pela própria Polícia Federal dão conta de que em março de 2010, durante a Operação Serra Negra, deflagrada em Mossoró, o delegado repassou informações sigilosas, que teve acesso em razão do cargo que ocupava. O fato causou prejuízos à operação, que buscava desarticular organização criminosa voltada ao tráfico de drogas na região.


No dia 15 de março do ano passado, enquanto os agentes da Polícia Federal monitoravam as ligações telefônicas dos envolvidos na Operação Serra Negra, detectaram a ligação de Karlla Micaelly Fernandes da Silva para o investigado Ikaro Mikael da Silva Jácome. No telefonema, ela informou que teria recebido informações de um "amigo" dizendo que a Polícia iria fazer "um raio x em tudo". Com base em tais dados, a Polícia solicitou à Justiça a quebra do sigilo das comunicações telefônicas de Karla Micaelly, com o objetivo de descobrir quem seria o suposto "amigo".


Das informações obtidas com a quebra do sigilo, os policiais federais observaram que, minutos antes de realizar chamadas para Ikaro Jácome, Karlla Micaelly recebeu um telefonema de determinado número. As investigações verificaram várias outros contatos telefônicos com o mesmo celular, que consta no cadastro de informações dos servidores da Polícia Federal como sendo do delegado Adauto Gomes da Silva Júnior.


A denúncia do Ministério Público Federal destaca que, em 15 de março de 2010, o delegado estava em Mossoró, em razão de outra missão policial. Segundo depoimentos de policiais federais encarregados do acompanhamento das interceptações telefônicas, nesse dia, Adauto dirigiu-se ao Núcleo de Operações de Inteligência Polícial da PF em Mossoró, e passou a fazer perguntas sobre Ikaro Jácome. Minutos mais tarde, o referido investigado tomaria conhecimento de que uma operação policial estava em curso na cidade de Mossoró e que ele seria um dos alvos.

Os policiais federais ouvidos pelo MPF, bem como o delegado responsável pela Operação Serra Negra, foram unânimes em afirmar que a conduta do denunciado trouxe danos à operação. O investigado Ikaro Jácome passou a utilizar outros números de telefone de celular, diminuindo a quantidade de conversas mantidas por telefone com seus sócios no tráfico, dificultando as investigações.


Em depoimento, Karlla Micaelly Fernandes da Silva admitiu expressamente ter sido avisada por Adauto Gomes de que haveria uma operação policial para reprimir o tráfico de drogas na cidade. Admitiu ainda ter conversado com Ikaro Michael logo após o telefonema do delegado, orientado-o a se desfazer do chip do telefone.


Para os procuradores da República em Mossoró que assinam a denuncia, Adauto Gomes da Silva Júnior, valendo-se da condição de delegado de polícia federal, teve acesso a informações sigilosas relativas à Operação Serra Negra e repassou essas informações por telefone na tarde do dia 15 de março de 2010. Dessa forma, colaborou como informante de organização destinada à prática dos crimes previstos na lei de tóxicos.


Diante da gravidade dos fatos, o MPF chegou a pedir a prisão preventiva de Adauto Gomes, tendo sido negada pela Justiça Federal, que determinou o afastamento da função de delegado.


Fonte: MPF/RN.





OPERAÇÃO DO MP PRENDE PREFEITO, PRESIDENTE DA CÂMARA, 5 VEREADORES E 2 SECRETÁRIOS DE MUNICÍPIO POTIGUAR

O Ministério Público do Rio Grande do Norte deflagrou no início desta segunda-feira, dia 19/12/2011, a Operação Mensalão da Vila, que investiga o pagamento de vantagem ilícita mais popularmente conhecida por mensalão no município de Vila Flor, uma das menores cidades do Estado, situada no Litoral Sul, distante pouco mais de 70 quilômetros da Capital.


A Operação iniciada nas primeiras horas da manhã, capitaneada pela Assessoria Jurídica Judicial da Procuradoria-Geral de Justiça e pelo Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (GAECO) mobilizou 22 Promotores de Justiça, em parceria com a Polícia Militar, e deu cumprimento a 19 mandados de buscas e apreensões, e a nove mandados de prisões preventivas de pessoas supostamente envolvidas em crimes de corrupção e contra a administração pública, devidamente expedidos pelo Desembargador Dilermando Mota.


Após cinco meses de investigação e contando com a efetiva colaboração do vereador Floriano Felinto, o Ministério Público conseguiu descortinar um esquema amplo de pagamento de vantagens indevidas a grande parte dos vereadores do Município de Vila Flor e promessa de vantagens indevidas, tudo isso pela troca de apoio político em detrimento do exercício da atividade parlamentar.


O mensalão vinha sendo pago a maioria dos vereadores de Vila Flor para que eles aprovassem os projetos de interesse do Chefe do Executivo e, entre outras coisas, não exerçam atribuição fiscalizatória aos atos do prefeito. Valor mensal em dinheiro, bem como a distribuição de outros benefícios como o fornecimento de combustível e até mesmo a oferta de empregos na Prefeitura eram benesses patrocinadas com recursos provenientes do erário municipal de Vila Flor.


Com o cumprimento das ordens judiciais foram presos preventivamente após as diligências o prefeito do município de Vila Flor, GRINALDO JOAQUIM DE SOUZA; o ex-secretário municipal de Administração ANTÔNIO IVANALDO DE OLIVEIRA; o secretário de Obras do município JOÃO FELIPE DE OLIVEIRA; o presidente da Câmara Municipal PEDRO FRANCISCO DA SILVA; e os vereadores IRINALDO DA SILVA, RONILDO LUIZ DA SILVA, AILTON PASSOS DE MEDEIROS, VIDALMIR SANTOS BRITO e MAGNO DOUGLAS PONTES DE OLIVEIRA.


O desembargador Dilermando Mota indeferiu o pedido de levantamento do segredo de justiça da investigação, mas liberou, exclusivamente, a presente divulgação com os vídeos encaminhados anexo.


O Ministério Público do Rio Grande do Norte concederá entrevista coletiva hoje, às 11h30, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em Candelária, sobre a investigação. O MPRN analisará o material recolhido nas buscas e apreensões e, em tempo hábil, procederá o oferecimento da denúncia acerca dos fatos delituosos investigados.

Fonte: MP/RN.




PREFEITO DE CAICÓ TERÁ QUE REGULAMENTAR EVENTOS PÚBLICOS E PRIVADOS OU SERÁ MULTADO EM 10% DE SEU SALÁRIO

O Ministério Público, através da 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Caicó, e o prefeito do município, Rivaldo Costa, celebraram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que prevê a regulamentação de eventos em que exista aglomeração de pessoas, de caráter público ou privado.


O acordo estabelece, em sua cláusula primeira, que o município de Caicó, deverá encaminhar, em um prazo de 60 dias, projeto de lei, disciplinando o órgão competente para análise e concessão de alvarás para realização dos eventos.


Ainda segundo o TAC, a prefeitura de Caicó se compromete a exigir dos promotores das festas, bailes e promoções dançantes os seguintes itens: alvará ou portaria da autoridade judiciária competente para que seja autorizada a entrada de pessoas menores de dezoito anos; declaração de estar ciente da proibição da venda de bebidas alcoólicas a menores de idade; comprovação da contratação de seguranças especializados, para atuar na área de realização do evento, entre outros pontos.


O descumprimento de qualquer uma das cláusulas do Termo de Ajustamento de Conduta implicará na aplicação de multa pessoal ao Prefeito, no valor diário de 10% de seu salário.




JOVEM SERIDOENSE MORRE EM ACIDENTE DE CARRO INDO PARA FESTA EM CIDADE PARAIBANA

Uma colisão entre dois carros na noite do último sábado (22), entre Várzea a Santa Luzia tirou a vida da jovem caicoense Nathália Diniz Régi...