15 de agosto de 2022

PETROBRAS ANUNCIA NOVA REDUÇÃO NO PREÇO DA GASOLINA

A Petrobras informou nesta segunda-feira (15) que vai reduzir o preço da gasolina vendida às distribuidoras em 4,85%. A partir de terça-feira (16), o preço do litro passará de R$ 3,71 para R$ 3,53 por litro, uma redução de R$ 0,18 por litro.

 

Os preços dos demais combustíveis não foram alterados.

 

O litro da gasolina é vendido às distribuidoras a R$ 3,71 desde a última redução, em 29 de julho. No ano, o combustível ainda acumula alta de 14,24%.

 

No mês de julho, a gasolina ficou em média 15,48% mais barata nas bombas, segundo dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA). Em 12 meses, no entanto, ainda acumulava alta de 5,64%. A queda de preços no mês foi puxada principalmente pela imposição de um limite para as alíquotas do ICMS, imposto estadual que incide sobre o combustível.


STF MANTÉM INELEGIBILIDADE DO EX-GOVERNADOR RICARDO COUTINHO

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou seguimento ao pedido da defesa do ex-governador e candidato ao Senado da Paraíba, Ricardo Coutinho (PT), para rever a sua inelegibilidade.

 

A decisão monocrática foi tomada nesta sexta-feira (12), mesmo dia em que o petista registrou sua candidatura ao Senado Federal pela Paraíba.

 

Ricardo está inelegível devido a uma condenação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por uso eleitoreiro do programa Empreender, nas eleições de 2014, quando foi candidato à reeleição.

 

A inelegibilidade foi determinada pelos oito anos seguintes à conduta vedada, considerando como marco inicial o data do primeiro turno das eleições daquele ano. Assim, a punição se encerra no dia 5 de outubro, três dias após a eleição geral deste ano.

 

Agora, o TRE vai analisar o pedido de registro feito pelo ex-governador. A elegibilidade é um requisito básico para o deferimento desse registro.

 

De acordo com o calendário eleitoral, 12 de setembro, 20 dias antes da data do primeiro turno, é o prazo final para que todos os pedidos de registro de candidatura – e eventuais recursos decorrentes do processo – tenham sido devidamente processados, analisados e julgados pelos tribunais eleitorais competentes.

NO PARANÁ, BOLSONARO E RATINHO DISPARAM NA PESQUISA IRG

O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o governador Ratinho Junior (PSD) continuam francos favoritos na intenção de voto no Paraná, dois dias antes de começar a campanha eleitoral das eleições de outubro. Levantamento do Instituto IRG divulgado neste domingo, 14, apontam Bolsonaro com 49,5% e Ratinho Junior tem 58,7%. 

 

Bolsonaro é seguido por Lula (PT) com 30%; Ciro Gomes (PTD), 5,9%. Simone Tebet (MDB), 3,1%; Pablo Marçal (Pros), 0,7%; Felipe D’Ávila (Novo), 0,5%; Eymael (DC), 0,2%; Sofia Manzano (PCB), 0,1%; Leo Péricles (UP), 0,1%; Vera Lúcia (PSTU), 0,07%; e Sonia Thronike (União Brasil), 0,07%. Nenhum/branco/nulo somaram 6,6% e não sabe/não respondeu, 2,9%.

MORRE HOMEM QUE REVELOU MAIOR ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO DA HISTÓRIA, NO GOVERNO LULA

Morreu no Rio de Janeiro  aos 68 anoso engenheiro e ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que, descoberto pela Operação Lava Jato, acabou por revelar e confirmar o maior escândalo de corrupção da História. Ele faleceu na tarde deste sábado (13), na cidade de Itaipava, na serra fluminense. 

 

Paulo Roberto Costa foi diretor de Abastecimento da Petrobras nos governos Lula e Dilma e acabou confessando e revelando o escândalo do “petrolão”, que roubo da Petrobras valores estimados em mais de R$30 bilhões. 

 

Ele foi preso em março de 2014, três dias após o início da operação Lava Jato, que, ao cumprir mandado de busca e apreensão no escritório do doleiro Alberto Youssef, a Polícia Federal encontrou provas de que ele havia recebido propina do investigado, incluindo um veículos de luxo Range Rover. 

 

No curso das investigações, confissões e condenações, Costa devolveu R$ 79 milhões à Petrobras, dinheiro oriundo do esquema de corrupção nos governos do PT. 

 

A sentença inicial condenou o ex-diretor a 70 anos de prisão. Entretanto, devido aos acordos firmados com o MPF, a pena foi reduzida para  12 anos de prisão, pelos crimes de  lavagem de dinheiro e corrupção. 

 

Ele ficou preso por cinco meses no Paraná e mais um ano em prisão domiciliar. Passou para o regime semiaberto, em 2015, e foi morar com a família em Petrópolis. 

 

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras lutava contra um câncer de pâncreas diagnosticado há cerca de um ano.

TRAGÉDIA! ACIDENTE ENTRE VAN DE ESTUDANTES E TRATOR DEIXA MORTOS NO SERTÃO DA PB

Um acidente entre uma van, que transportava estudantes, e um trator, na noite desta segunda-feira (22), deixou ao menos duas pessoas mortas,...