8 de outubro de 2021

BANDIDOS QUE MATARAM COMÉRCIANTE DURANTE ASSALTO NO RN SÃO CONDENADOS A QUASE 20 ANOS DE PRISÃO

Dois homens foram condenados a mais de 19 anos de prisão pela morte do comerciante Ricardo Marques de Araújo, de 57 anos, em janeiro de 2021, durante um assalto em Natal. Os réus confessaram o crime à Justiça.

 

O latrocínio aconteceu na rua Jaguarari, quando a vítima seguia para a Central de Abastecimento do Estado (Ceasa), onde faria compras para o seu comércio. Após atirar na vítima, os criminosos levaram R$ 4.500.

 

As investigações apontaram que um dos acusados trabalhava na Ceasa e teria agido com o comparsa no roubo. Teria sido esse homem o responsável pelos disparos contra o tórax de Ricardo. Eles foram presos pela Polícia Civil em março.

 

A 6ª Vara Criminal de Natal definiu a sentença, com penas de pouco mais de 19 anos de reclusão para os dois envolvidos. Um deles ainda deverá cumprir mais um ano e seis meses, pela posse ilegal de arma de fogo.

 

Segundo a decisão, testemunhos não deixaram dúvidas sobre a autoria do crime, e a junção de provas ficou "harmônica" e em consonância com as versões apresentadas pelos próprios acusados, que confessaram o crime.

 

 

A decisão destacou que o latrocínio executado pelos denunciados ultrapassou o estágio da tentativa, não só pelo fato de se ter produzido o resultado morte, mas também pelo roubo efetivado, já que o dinheiro da vítima foi levado.

MPF DENUNCIA POR LAVAGEM DE DINHEIRO GRUPO QUE CONTRABANDEAVA CIGARROS PARA O RN

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma nova denúncia contra oito integrantes de um esquema de contrabando de cigarros no interior do Rio Grande do Norte, desbaratado pela Operação Smoke Route. A nova ação penal do MPF requer a condenação do grupo por lavagem de dinheiro, uma vez que, para ocultar a origem criminosa dos recursos, eles movimentaram R$ 245 milhões (entre 2018 e 2020) fazendo uso de 88 contas bancárias, muitas das quais em nome de “laranjas” e de empresas “de fachada” ou fictícias.

 

Os denunciados também fracionavam os valores a serem depositados ou transferidos das contas – tentando fugir da atenção dos órgãos de fiscalização – e adquiriram imóveis e bens em nome de terceiros. Eles já foram condenados em primeira instância (na Ação Penal 0800194-95.2020.4.05.8404) por crimes como contrabando de cigarros e organização criminosa.

 

Máfia - A Operação Smoke Route investigou um esquema de comércio de cigarros estrangeiros de importação proibida pela lei brasileira. Uma diligência realizada na zona rural de Umarizal (RN), em 11 de junho de 2020, com o objetivo de localizar uma suposta carga de cigarros contrabandeados, terminou por apreender 68.100 pacotes de marcas originárias do Paraguai, Coreia do Sul, Singapura e Alemanha, que estavam em situação irregular perante a Anvisa e a Receita Federal.

 

Os produtos foram avaliados em R$ 3,4 milhões e foram apreendidos também documentos e dois veículos. O chefe da organização criminosa, cujo funcionamento se assemelhava à de uma “verdadeira máfia familiar”, ainda se encontra foragido, porém outros dois líderes continuam presos preventivamente. A nova Ação Penal irá tramitar na Justiça Federal, em Pau dos Ferros.

APÓS BOLSONARO PEDIR PARA DEPOR, STF FICA SEM TER O QUE JULGAR

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu hoje (6) o julgamento do recurso no qual a Advocacia-Geral da União (AGU) pediu, no ano passado, que seja concedido ao presidente Jair Bolsonaro o direito de prestar depoimento por escrito no inquérito sobre sua suposta interferência política na Polícia Federal (PF).

Com isso, o ministro relator do caso, Alexandre de Moraes, fixou prazo de trinta dias para que a PF realize o depoimento. 

 

O caso seria julgado nesta tarde, mas, minutos antes do início da sessão, a AGU informou ao Supremo que o presidente pretende depor presencialmente.

 

“O requerente manifesta perante essa Suprema Corte o seu interesse em prestar depoimento em relação aos fatos objeto deste inquérito mediante comparecimento pessoal. Nesta oportunidade, requer lhe seja facultada a possibilidade de ser inquirido em local, dia e hora previamente ajustados”, informou o órgão. 

 

Diante da informação, Moraes pediu a retirada da questão de pauta para analisar se o caso ainda pode ser julgado. 

 

A abertura do inquérito sobre a suposta interferência de Bolsonaro na PF foi autorizada em abril do ano passado, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

 

BRASIL RECEBERÁ AINDA ESTE MÊS 51,5 MILHÕES DE NOVAS DOSES DA PFIZER E ASTRAZENECA

O Ministério da Saúde publicou na manhã desta quinta-feira (7) a previsão de entregas de mais 51,5 milhões de doses de vacinas contra covid-19 para este mês de outubro. 

 

Para ampliar a vacinação dos brasileiros e reforçar ainda mais a imunidade de quem já tomou as duas doses, o Ministério deve receber dos laboratórios contratados 36,1 milhões de vacinas da Pfizer e outras 15,3 milhões da AstraZeneca. 

 

Até o momento, 301 milhões de doses já foram entregues e distribuídas às unidades da federação. Dos contratos firmados com o Governo Federal, Pfizer (100 milhões), Fiocruz (100 milhões) e Butantan (100 milhões) cumpriram as entregas previstas ainda em setembro. 

 

“O Brasil já está aplicando doses de reforço em idosos. Poucos países avançaram tanto na vacinação da sua população. E nós estamos indo muito bem, e os resultados estão aí. Queda no número de casos, óbitos, internações. Estamos satisfeitos com o curso da evolução da Pandemia e isso é graças à Campanha de Vacinação”, contou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. 

 

Das mais de 301 milhões de doses distribuídos, 243,5 milhões foram aplicadas no braço dos brasileiros. Dessas, 148,2 milhões foram de primeira dose e 95,3 milhões de segunda dose ou dose única. Estados e municípios também começaram a aplicar doses de reforço. Foram aplicadas 1,4 milhões doses de reforço e adicionais em idosos, profissionais de saúde e imunossuprimidos. (Com informações da Comunicação do MS).

CRIMINOSOS SÃO PRESOS NO RN COM DEZENAS DE CARTEIRAS DE IDENTIDADE FALSAS

Três homens foram presos nesta quinta-feira (7) em Natal suspeitos de produzirem documentos falsificados. Pelo menos 200 carteiras de identidade foram encontradas com eles.

 

Na casa de um dos suspeitos a polícia encontrou, além das centenas de carteiras de identidade do Itep, muitas delas com a mesma foto e nomes diferentes, selos do Tribunal de Justiça do RN, carimbos, certidões de nascimento, reservistas e carteiras de trabalho. Havia ainda uma pistola e munições.

 

O suspeito que tinha o material em casa já tinha mandado de prisão em aberto e estava sendo investigado. A suspeita da polícia é de que ele falsifica documentos para entregá-los a foragidos da Justiça e membros de facções criminosas que atuam na Zona Leste da capital.

COMISSÃO DA CÂMARA DOS EUA APONTA ‘CAMPANHA DE CENSURA NO BRASIL’

A Comissão de Assuntos Judiciários da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, equivalente à CCJ da Câmara brasileira, divulgou nesta quar...