Destaque

27/10/2010

UNESCO PUBLICA NOTA CONDENANDO ASSASSINATO DO JORNALISTA F. GOMES

A diretora geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Irina Bokova, condenou nesta terça-feira (26) o assassinato do jornalista potiguar Francisco Gomes de Medeiros, cometido "porque cumpria com seu dever" profissional.

A Unesco destacou que o assassinato do repórter no Rio Grande do Norte no último dia 18 aconteceu porque ele defendia "o direito humano fundamental à liberdade de expressão, pilar de toda sociedade democrática".

"Peço às autoridades brasileiras que façam todos os esforços possíveis para investigar seu assassinato e prender os culpados".

Segundo a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), Medeiros, de 46 anos, foi assassinado em 18 de outubro na frente de sua residência na cidade de Caicó, no Rio Grande do Norte.

Um homem que passava em uma moto disparou contra Medeiros, que morreu pouco após chegar ao hospital.

Conhecido como F. Gomes, Medeiros era um dos repórteres mais respeitados do estado e em seu blog informava sobre atividades ilegais como a compra de votos e o narcotráfico.

Além disso, era chefe da divisão informativa da Rádio Caicó, onde apresentava o programa diário "Comando Geral".

Segundo o Instituto Internacional de Imprensa (IPI), na última década 18 jornalistas foram assassinados no Brasil.


Fonte: Agência EFE.



MACACO PREGO DÁ MAIOR “BAILE”, MAS É CAPTURADO PELA POLÍCIA AMBIENTAL NO SERIDÓ POTIGUAR

Nesta terça-feira (26) uma ocorrência no Sítio Namorados no município de Currais Novos, movimentou o Policiamento Ambiental que teve muito trabalho para capturar um macaco prego que estava atacando pessoas e quebrando as telhas em uma residência no Sítio citado.


O animal apareceu na referida casa há alguns meses e foi adotado pelas pessoas que lá residem e era criado amarrado em uma árvore. Nos últimos dias o Macaco tinha fugido e retornou a casa, desta vez agressivo e atacando todos que via pela frente, chegando a morder o dono da residência.


A Polícia Ambiental foi acionada e depois de mais de 02 horas, os policiais conseguiram capturar o animal que foi levado para o IBAMA em Caicó, depois será levado para a sede em Natal, onde passará por uma quarentena e será avaliado se terá condições de ser devolvido ao seu habitat natural.



Fonte e fotos: PM Currais Novos.




PREFEITO DE CAICÓ ASSINA TAC PARA OFERECER TRANSPORTE ESCOLAR NA REDE PÚBLICA MUNICIPAL

Cabe ao Município incumbir-se do transporte escolar dos alunos da rede municipal”. Isso é o que diz a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional que, em 2011, deverá ser seguida no município de Caicó, segundo o acordado entre a titular da 3ª Promotoria de Justiça, Fladja Raiane de Souza e o prefeito da cidade, Rivaldo Costa. O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre as partes determina a inserção de licitação para a contratação de serviços de transporte de estudantes da rede pública.

No TAC encontra-se também determinado normas básicas de segurança que os proprietários dos veículos contratados, e os motoristas, deverão seguir. Os veículos, além da conhecida faixa amarela na lateral e traseira denominando que se trata de um transporte escolar, deverão conter bancada para os passageiros, com cintos de segurança, extintores de incêndio, e também lanternas dianteiras e traseiras, e cobertura de lona para veículos de carroceria. Todos os estudantes deverão ser transportados sentados. Já o condutor do veículo deverá ser maior de 21 anos, ter habilitação na categoria D e nenhuma multa grave ou gravíssima além de ser aprovado em curso especializado.


A Secretaria de Educação tem o prazo de 30 dias para indicar um funcionário que será o responsável pelo acompanhamento do serviço de transporte escolar, pela realização de inspeções nos veículos, para assegurar a qualidade do serviço durante a execução dos contratos, e por reverter à Promotoria a obrigação do cumprimento das obrigações. O não cumprimento acarretará na cobrança de uma multa pessoal ao prefeito no valor de 10% do seu salário.

Fonte: Ministério Público.