21 de outubro de 2018

SUSPEITO DE MOVIMENTAR ATÉ R$ 20 MILHÕES POR MÊS COM O TRÁFICO DE DROGAS NO RN E PB É PRESO NO RN

Uma ação conjunta, envolvendo policiais civis da Divisão Especializada de Investigação e Combate ao Crime Organizado do Rio Grande do Norte (Deicor) e da Divisão de Homicídios da Paraíba, prendeu um homem suspeito de participar de uma quadrilha de roubo a bancos e de comandar o tráfico de drogas em várias cidades nos dois estados, principalmente em Assu, no Oeste potiguar, e em Patos, no sertão paraibano.








O preso é Valdenor Xavier de Sousa Júnior, de 37 anos, o "Júnior dos Remédios". Ele é um dos 92 detentos que fugiram da Penitenciária de Segurança Máxima PB1, em João Pessoa, há pouco mais de um mês. 








Titular da Deicor, o delegado Odilon Teodósio disse que “Júnior dos Remédios” é responsável por movimentar entre R$ 10 e 20 milhões por mês. 




Ao todo, seis pessoas foram presas e mais de R$ 2 milhões em produtos ilícitos apreendidos em uma casa de alto padrão em Nova Parnamirim e em uma granja luxuosa localizada na zona rural de Nísia Floresta, ambas na Grande Natal. Três pessoas conseguiram fugir do cerco à granja, mas já foram identificadas. A operação começou na tarde da sexta-feira (19) e só foi concluída na madrugada deste sábado (20). 






A casa onde o suspeito estava foi alugada há pouco tempo, ainda antes da fuga da penitenciária. Fica no conjunto Cidade Verde, em Nova Parnamirim, bairro de Parnamirim. Lá, ainda de acordo com o delegado, também foram presos Ernani Fernandes Brandão Neto, de 23 anos, que também escapou do PB1, e duas mulheres. “Na casa, que é de alto padrão, apreendemos vários cartões de crédito, R$ 12.500 em dinheiro, aparelhos celulares, relógios, e uma caminhonete”, acrescentou. 





Ainda no imóvel, os policiais perceberam que toda a mobília havia sido adquirida recentemente e que, nas notas de compra, o endereço que constava para a entrega não era o da casa, mas o endereço da granja. 





Na sequência da operação, à noite, Odilon disse que os agentes localizaram a granja, que na comunidade de Lagoa Azul, na zona rural de Nísia Floresta, e montaram um cerco. Três pessoas conseguiram fugir, mas dois homens acabaram presos – entre eles um taxista que chegou transportando 2 quilos de cocaína. “Só de produtos eletrônicos, apreendemos quase R$ 1 milhão nesta granja, que é bastante luxuosa”, complementou. 




O delegado disse que o taxista mora em Mossoró, no Oeste potiguar, onde foram encontrados uma pistola e aproximadamente 1 quilo de cocaína.




 

Do Blog: Milionário o com o dinheiro dos "inofensivos" usuários de drogas, que em muitas das vezes, roubam para comprar drogas. Olhe se esse traficante usa drogas? Ou ainda, se ele deixa seus filhos usarem? Só os otários é que usam!


PROFESSOR ACUSADO DE ABUSAR DE ALUNAS É CONDENADO A 100 ANOS DE PRISÃO EM RO

O professor Antônio Lima Fidelis, agora com 65 anos, foi condenado a 100 anos de prisão, pela 1ª Vara Criminal de Colorado do Oeste (RO). O julgamento aconteceu nessa semana. Ele é acusado de abusar sexualmente de cinco alunas, entre 8 e 12 anos, em uma escola da zona rural de Cabixi (RO). O caso foi registrado em abril deste ano





O Ministério Público de Rondônia (MP-RO) apresentou denúncia ao Judiciário, pedindo a condenação do professor por estupro de vulnerável, por cinco vezes, e a perda do cargo público. Já a defesa pediu absolvição de Antônio, em razão dos ótimos antecedentes dele. O professor tem emprego fixo e nunca foi preso. 





Os abusos teriam acontecido entre fevereiro e março deste ano. Em depoimento, as vítimas narraram que, ao entregar a tarefa para o professor corrigir, ele as colocava no colo e passava a mão no corpo delas, inclusive nas partes íntimas. 





As meninas ainda narraram que, nessas ocasiões, o professor passava a barba no pescoço delas. As vítimas também contaram que ele costumava distribuir balas para os alunos no fim das aulas.
No interrogatório, o acusado negou todos os fatos. Ele narrou que "trabalha desde 1989 e sempre tratou com muito carinho todos os seus alunos". O professor também disse que nunca colocou alunas no colo. 





O acusado ainda justificou que, a primeira menina a denunciar o caso, inventou a denúncia, por ser uma aluna difícil, e depois influenciou as colegas. 





O acusado explicou que sempre deu balas para os alunos e para colegas professores, pois parou de fumar e sempre tinha balas com ele. O professor é casado há 38 anos e tem duas filhas; de 26 e 36 anos. 




Contudo, o juízo acatou a denúncia do MP, pois avaliou que as palavras das vítimas estavam em consonância com as provas existentes nos autos. Inclusive, o relatório psicossocial apontou que todas as vítimas apresentaram relatos detalhado sobre a dinâmica dos abusos. 




O juízo também levou em consideração o depoimento de uma vítima de 18 anos. Ela disse que foi abusada há 10 anos, mas não contou na época, porque ficou com medo dos pais não acreditaram nela. Sobre essa vítima, o acusado argumentou que não a conhece; que nunca conversou com ela e que era amigo do pai dela.




O professor foi condenado a 20 anos de reclusão por cada vítima, o que resultou na pena de 100 anos. O cumprimento inicial da pena deve ser no regime fechado. O juízo também determinou a perda do cargo público do acusado. 




O professor não teve o direito de recorrer em liberdade, e continua preso na Casa de Detenção de Colorado do Oeste. A decisão cabe recurso.
 
 
Fonte: G1/RO.

POLICIAIS CIVIS DE SÃO PAULO SÃO PRESOS APÓS TROCA DE TIROS COM POLICIAIS DE MG; UM MORRE OUTRO FICA FERIDO


Quatro policiais civis de São Paulo foram presos e cinco foram liberados em Juiz de Fora (MG) após se envolverem numa troca de tiros com policiais mineiros nesta sexta-feira (19). O grupo estava de folga e fazia um bico de escolta para um empresário. No local do tiroteio foram encontrados cerca de R$ 15 milhões em notas falsas. Um policial mineiro morreu.










Dois feridos são o estelionatário, que teria levado o dinheiro falso, e uma pessoa, também de São Paulo, apontada como responsável pelo tiro que matou o policial mineiro. 




As armas de todos os policiais envolvidos na confusão foram apreendidas. A investigação vai dizer se os policiais usaram armas oficiais fora de serviço, o que é proibido. 




Três policiais civis de Minas Gerais foram autuados pelo crime de prevaricação, que é quando funcionário público deixa de cumprir suas funções. 




E lembrando que policial que faz bico em horário de folga comete infração administrativa.

QUATRO JOVENS SÃO ENCONTRADAS MORTAS EM MENOS DE UMA SEMANA NO CE

Em menos de uma semana, Eveline Souza Mendes, de 18 anos,  Marina Nascimento Souza, prima de Eveline, de 15 anos,   Ana Vitória, sem idade...