3 de junho de 2017

PENA PARA MOTORISTA BÊBADO VAI AUMENTAR PARA 5 ANOS

As penas para quem dirigir embriagado ou sob efeito de drogas podem aumentar. O assunto tem sido discutido na Câmara Federal, e já teve proposta aprovada pela Comissão de Viação e Transportes. De acordo com o texto, passa de seis meses para um ano o tempo mínimo de prisão para quem for flagrado ao volante após ter bebido ou usado drogas.
 
 
 
 
Outra alteração proposta é para os casos de homicídio: quando a pessoa pega o volante bêbado ou drogado, e acaba matando alguém num acidente. A pena mínima anterior era de 4 anos de detenção. Agora pode passar para 5. É importante ressaltar que em todos os casos o motorista envolvido em alguma dessas situações deve passar por exames clínicos que comprovem o uso das substâncias. A proposta agora vai ter pontos analisados pela Comissão de Constituição e Justiça.

JOVEM DE 19 ANOS FOI QUEIMADA VIVA POR DÍVIDA COM TRÁFICO EM SC

O corpo de uma jovem de 19 anos foi encontrado carbonizado na quarta-feira (31) em uma cova rasa em uma área rural de Brusque, no Vale do Itajaí. Segundo a Polícia Civil, a vítima teria sido executada em razão de uma dívida envolvendo tráfico de drogas. Quatro pessoas foram presas.
 
 
 
 
 
 
 
Segundo o delegado Alex Bonfim Reis, responsável pela investigação, Roberta Keller foi morta na madrugada do dia 25 de maio. Quatro pessoas obrigaram a vítima a entrar em um táxi. O veículo foi até o início de uma estrada rural e a garota, levada para uma clareira no matagal, segundo a investigação.
 
 
 
 
Conforme os laudos cadavéricos, Roberta foi agredida. O delegado ainda acredita que a vítima foi queimada viva com gasolina.
 
 
 
 
Entre os suspeitos presos preventivamente estão o suposto mandante do crime, o taxista e um homem e uma mulher que estavam no táxi. Uma quinta pessoa está com mandado de prisão em aberto.
 
 
 
 
A jovem não tinha endereço fixo e mantinha um relacionamento com um suspeito de tráfico, segundo o delegado.
 
 
Fonte: G1/SC. 

“QUEM VIER COM INTUITO DE BAGUNÇAR, VAI SE DAR MAL!”, DIZ PREFEITO HUDSON BRITO SOBRE SEGURANÇA DO ‘SANTO ANTÔNIO DO POVO’

Na estreia do programa de rádio, ‘prestando contas’, que irá ao ar todas as sextas-feiras, das 11:00 às 11:30hs, na Rádio Rural AM Parelhas, o prefeito de Santana do Seridó, Hudson Brito falou sobre a tradicional festa junina, ‘Santo Antônio do Povo’, que acontecerá do dia 09 ao dia 11 de junho.
 
 
 
 
Hudson falou de toda a estrutura que está sendo montada para o grande evento, principalmente na área de segurança, para proteger os santanenses e visitantes durante os dias de festanças.
 
Quem vier para Santana para se divertir, estará seguro, pois teremos um aparato policial muito grande, tanto da PM, quanto da Polícia Civil, que estará com uma unidade móvel na cidade desde a quinta-feira, (08). Quem vier com intuito de bagunçar, vai se dar muito mal!”, alertou Hudson Brito.
 
Do Blog: Boa festa à todos!   

ASSALTANTE DE BANCO SE FERIU E FOI PRESO AO PROCURAR HOSPITAL NO RN

Um dos elementos acusados de assaltar a agência do Banco do Brasil na cidade de Santo Antônio, no Agreste Potiguar, foi preso em um hospital de Parnamirim. O homem procurou atendimento porque se feriu quando a Polícia Militar botou o bando pra correr na madrugada dessa quinta-feira, 1º de junho, frustrando a ação dos criminosos.
 
 
 
 
 
 
 
A prisão ocorreu horas após a ocorrência atendida pelos policiais do 8º Batalhão. George Gomes Crisanto, o Biu, tem 35 anos, e foi preso em Flagrante pela Polícia Civil pelo crime de roubo.
 
 


Além de ter sido preso em flagrante pelo crime de roubo contra a agência, os policiais civis descobriram que contra George Gomes havia um mandado de prisão preventiva por uma tentativa de homicídio em Santa Cruz.

MPF PEDE PRISÃO DE LULA E PAGAMENTO DE R$ 87 MILHÕES EM MULTAS NO CASO DO TRIPLEX

O Ministério Público Federal (MPF) pediu ao juiz Sérgio Moro, nesta sexta-feira (3), que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros seis réus sejam condenados pelos crimes de corrupção passiva, ativa e lavagem de dinheiro e que cumpram as respectivas penas em regime fechado.
 
 
 
 
O pedido consta nas alegações finais do processo que apura um suposto pagamento de propina por parte da OAS, por meio da entrega de um apartamento triplex no Guarujá, litoral paulista.
 
 
 
 
O MPF diz que o apartamento seria entregue a Lula, como contrapartida por contratos que a OAS fechou com a Petrobras, nos anos em que o político foi presidente da República. Também faz parte da denúncia o pagamento que a OAS fez à transportadora Granero, para que a empresa fizesse a guarda de parte do acervo que o ex-presidente recebeu ao deixar o cargo.
 
 
 
 
Entre os réus, também estão o ex-presidente da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, e outros executivos da construtora, que foram acusados de lavagem de dinheiro e corrupção ativa. A ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva também era ré, mas teve nome excluído da ação penal após a morte dela, em fevereiro deste ano.
 
 
 
 
Embora tenha pedido que todos sejam presos, o MPF diz que Léo Pinheiro, Agenor Franklin Medeiros e Paulo Gordilho, devem ter as penas reduzidas pela metade, "considerando que em seus interrogatórios não apenas confessaram ter praticado os graves fatos criminosos objeto da acusação, como também espontaneamente optaram por prestar esclarecimentos relevantes acerca da responsabilidade de coautores e partícipes nos crimes, tendo em vista, ainda, que forneceram provas documentais acerca dos crimes que não estavam na posse e não eram de conhecimento das autoridades públicas".
 
 
 
Os procuradores ainda ressaltaram que nenhum deles fez acordo de delação premiada, embora tenham reconhecido durante os respectivos depoimentos, que todos estavam em tratativas para fechar as colaborações.
 
 
 
 
No pedido, o MPF também quer que Moro determine a apreensão de R$ 87.624.971,26. O valor é correspondente ao montante de propinas que foram pagas nos contratos que a OAS firmou junto à Petrobras a agentes públicos.
 
 
 
 
Desse montante, Lula teria recebido um total de pouco mais de R$ 3 milhões, somando o valor do apartamento e do contrato entre a OAS e a Granero. Apesar disso, os procuradores pediram que o ex-presidente seja condenado a pagar outros R$ 87 milhões em multas.
 
 
 
 
As defesas têm até 20 de junho para contestar os argumentos do MPF, dentro do processo. Esta é a última fase da ação penal. Após todas as partes apresentarem as alegações finais, o processo volta ao juiz Sérgio Moro, que vai definir se condena ou absolve os réus.

TRAGÉDIA! ACIDENTE ENTRE VAN DE ESTUDANTES E TRATOR DEIXA MORTOS NO SERTÃO DA PB

Um acidente entre uma van, que transportava estudantes, e um trator, na noite desta segunda-feira (22), deixou ao menos duas pessoas mortas,...