2 de maio de 2009

EX-PREFEITO DR. EDIMAR MEDEIROS FALA NA CABUGI E DIZ: EU PRECISO DEIXAR DE SER O PREFEITO DE JARDIM DO SERIDÓ






O ex-prefeito da cidade de Jardim do Seridó, o Dr. Edimar Medeiros Dantas, deu uma longa entrevista no começo da tarde de hoje (02), na emissora rádio cabugi do seridó ao reporte José Wilson, prendendo a atenção da população da cidade que há muito tempo esperava que o mesmo rebatesse as acusações do atual prefeito Jocimar Dantas.

Perguntado o que ele achava da declaração do atual prefeito de que sua administração foi um desastre, Dr. Edimar respondeu que não acredita que uma administração que foi ganhadora do Selo UNICEF, que conseguiu através de suas amizades trazer duas torres de celular para a cidade, que cuidou direito da saúde da população, do esporte, da cultura, que cuidou dos idosos, que cuidou da educação, tenha sido desastrosa. Portanto é preciso meu caro José Wilson, meus conterrâneos e conterrâneas, que eu deixe de ser o prefeito, o povo já me julgou, já não sou mais prefeito dessa cidade, o povo já me mandou embora, e achou que eu não seria legal, e que legal seria o prefeito que ai está, então é ele que tem que cuidar da nossa cidade, e não botar a culpa em Dr. Edimar. disse.

Quando questionado sobre a dívida de um milhão que o prefeito atual acusou de ter sido deixada por ele, Dr. Edimar foi firme na sua resposta ao dizer que quando Patrício Júnior saiu da prefeitura disse que tinha deixado mais de quinhentos mil reais, para pagar as contas da prefeitura, sendo que não existia esse dinheiro, mais mesmo assim ele pagou, pois as contas não eram de Patrício, e sim da Prefeitura municipal de Jardim do Seridó. O cara chega e faz uma lista e bota o debito com o INSS como se fosse meu, só porque é bonito chegar e dizer que Dr. Edimar deixou uma dívida de um milhão, cadê o dinheiro do repasse da arrecadação do dia 21 a 31 de dezembro, que só entra no mês de janeiro e deveria ter sido pago as contas da minha administração? Questionou o ex-prefeito.

Dr. Edimar relembrou ainda que a saúde do município é de obrigação do executivo, o hospital tem como obrigação de vender seus serviços e que o poder público tem que comprar, pois é dele essa obrigação. Agora, o prefeito chega e diz, eu vou passar aqui x mil reais pro hospital e dizer que o hospital tem obrigação com a saúde do município, que conversa é essa! Quem tem obrigação com a saúde é o estado, e na minha administração eu tenho absoluta certeza que tive. Falou.

Mesmo tendo esquecido de citar tantas outras obras, como o conjunto residencial Ana Cunha, reforma do hospital, viaturas para o policia, delegacia de policia, pavimentação de varias ruas e avenidas, reforma de creches, e tantos programas e eventos sociais como o juventude cidadã, grande São Pedro da Alegria, o ex-prefeito bateu muito na tecla das obras da casa de cultura popular e da farmácia de todos, que encontram-se abandonadas pelo atual gestor público.

O ex-prefeito disse não acreditar que Jocimar Dantas vai deixar de fazer as obras da Praça Dr. José Augusto, a quadra do bela vista, a pavimentação de varias ruas, mais outra Praça no bairro esplanada próximo a BR 427, só pelo simples motivo de que esses contratos foram conseguidos e assinados por ele durante sua gestão, mais não deu tempo de ser iniciados no mesmo.


Para finalizar, Dr. Edimar falou que não guarda magoas, e que continua fazendo seu trabalho voluntário em prol do povo de Jardim do Seridó, e prometeu em voltar à rádio cabugi do seridó em outra oportunidade para responder a todas as perguntas que ficaram sem serem feitas, principalmente as sobre seu futuro político.

A entrevista do Ex-prefeito de Jardim do Seridó Dr. Edimar Medeiros Dantas, diferentemente das que são concedidas pelo atual prefeito da cidade Jocimar Dantas, foi respeitosa e sem ataques contra aqueles que tanto o persegue mesmo depois das eleições municipais, mostrando que o povo tem que ser respeitado,e não insultado como foram a poucos dias na mesma emissora pelo atual gestor.


TESTEMUNHAS CONFIRMAM QUE CRIANÇAS FORAM AMARADAS COM CORDÕES POR PROFESSORAS DA CRECHE

Uma das testemunhas que presenciaram o fato lamentável das crianças que foram amaradas por professoras da creche do bairro belas vista em Jardim do Seridó, confirmou ao nosso blog o que já haviam dito em depoimento no Conselho Tutelar.

Segundo relato da testemunha, as crianças estavam amarradas com barbantes, e não com elásticos como estão tentando se justificarem da atrocidade cometida pelas educadoras infantis. Tinha crianças chorando, e estavam amaradas com cordões de mais ou menos um palmo de uma para outra pelos pulsos, mais eram tão apertados que não tinha como agente ajudar aquelas crianças a se livrarem daquele sofrimento. Disse a testemunha.

Mesmo que fossem amaradas com fios de ouro, as crianças não teriam ficado livres do constrangimento de serem tratados como se fossem animais, ou até mesmos como se tivessem algemadas, como é visto por elas na televisão.

Lamentamos apenas, que ao invés da indignação que seria necessária para o caso, estamos vendo até autoridades representantes do povo, tentando de todas as formas justificarem um ato de selvageria, cometido por quem deveria proteger as inocentes criancinhas da creche professora Clenita.

Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990.

Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.

Art 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.


VÍTIMA DE QUEDA DA SANGRIA DO GARGALHEIRAS AINDA NÃO FOI ENCONTRADA

Até o momento não foi encontrado o corpo do homem que caiu da parede do açude Gargalheiras na tarde desta sexta-feira (01), quando tomava banho nas proximidades do sangradouro do açude.

Segundo testemunhas que presenciaram todo o acidente, a vítima estava nadando muito perto da parede do açude, momento em que foi arrastado pela correnteza e caiu de uma altura de 30 metros aproximadamente, não sendo mais visto.

Tudo indica que a vítima é o jovem agricultor Francisco Morais de Medeiros, de 26 anos, da cidade de Currais Novos, que teve seu desaparecimento registrado por familiares na delegacia de Acari.



ZELENSKY DIZ QUE ENCONTRO ENTRE LULA E PUTIN SERIA ‘UM GRANDE ERRO’

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou nesta quinta-feira (18) que seria “um grande erro” o presidente Luiz Inácio Lula da S...