9 de abril de 2020

CAMPUS CAICÓ PRODUZ CAPOTES HOSPITALARES EM AÇÃO DE COMBATE À PANDEMIA

Desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou estado de pandemia com o surgimento do novo Coronavírus (cientificamente, SARS-COV-2), a busca por Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) disparou no mundo inteiro. Ferramenta indispensável para o trabalho diário dos profissionais de saúde, capotes hospitalares estão sendo produzidos nos Campus Caicó do IFRN.










Após a distribuição das primeiras unidades, destinadas ao Hospital Regional Telecila Fontes, a equipe responsável pelo projeto foi contatada por um dos profissionais da unidade de saúde: “Os EPI´s doados estão fazendo toda a diferença. Ontem mesmo, se não tivesse o protetor, não teríamos conseguido fazer um procedimento em um paciente”, disse Diógenes Moura, enfermeiro no hospital. 





Utilizando instalações dos Laboratórios de Costura e de Química Têxtil, servidores e estudantes do Campus estão produzindo os capotes hospitalares. Em outra frente de trabalho, moldes de aventais cirúrgicos foram feitos e cortados por membros do projeto e distribuído nas casas dos estudantes egressos do curso de Design de Moda e Vestuário que possuem máquinas de costura adequadas à confecção. Segundo Simone Pereira, coordenadora de Extensão do Campus Caicó, a expectativa é que “a iniciativa minimize os impactos negativos da Covid-19 por meio do aumento de proteção dos profissionais de saúde do Hospital Telecila Fontes, diminuindo significativamente a disseminação do contágio para a população da Região Seridó do Rio Grande do Norte”.




Diretora do Hospital Telecila Fontes, Maura Sobreira falou sobre o número de atendimentos na unidade: “o Regional atende, além de Caicó, cerca de 12 cidades vizinhas. Nossa equipe é composta por 520 funcionários entre efetivos, temporários e terceirizados. O consumo semanal deve girar em torno de 300 unidades da vestimenta de proteção”. A doação do IFRN – o projeto prevê confecção de 1000 capotes descartáveis em 90 dias – atenderá parte dessa demanda do hospital.

0 comentários:

Postar um comentário