30 de novembro de 2021

“NÃO TENHO COMO PAGAR”, AFIRMA HENRIQUE ALVES APÓS TER PRISÃO DECRETADA POR DÍVIDA EM PENSÃO DE QUASE 1 MILHÃO DE REAIS

O ex-ministro do Turismo, Henrique Alves, que teve a prisão decretada por atraso no pagamento de pensão alimentícia, afirmou, por meio de nota, que não tem como pagar a dívida que já ultrapassa R$ 932 mil. O processo começou ainda em 2017, quando Priscila Gimenez, sua ex-mulher, ingressou na Justiça para receber a pensão, que na época, estava atrasada há três meses. A decisão é do dia 23 de novembro e é resultado de um processo por falta de pagamento de pensão a um de seus filhos, Pedro Henrique Alves, de 20 anos.

 

“Esse despautério promovido por Pedro Henrique e sua mãe de quem me divorciei – de forma consensual – há mais de 11 anos, deixando mais de 50% de meu patrimônio na época, não pode prosperar. Pelo simples fato de que não tenho como pagar uma pensão de quase R$ 50 mil reais por mês”, afirmou. 

 

A decisão foi proferida pelo juiz Marco Aurélio Paioletti Martins Costa, da 2ª Vara de Família de Natal. O ex-ministro disse que estava com a consciência tranquila e lamentou a postura do filho. “Hoje, lamento a postura de Pedro Henrique. Mas a seu desatino entrego também, à Justiça Divina”, afirmou.

 

Henrique ainda informou que recebeu a informação do mandado de prisão há seis dias, mas que até o momento não foi intimado. Ele completou dizendo que já recorreu da decisão e aguarda o julgamento do recurso encaminhou a Justiça através de seu advogado.
 

Do Blog: Isso não é pensão alimentícia. Absurdo! Imoral!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATO PRÓ-BOLSONARO É DESTAQUE NA IMPRENSA INTERNACIONAL

A manifestação convocada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), ocorrida na Avenida Paulista (SP), neste domingo (25), teve repercussão n...