29 de agosto de 2019

APÓS JÚRI, VIÚVA PEGA 26, AMANTE 21 E ENTEADO QUASE 19 ANOS DE PRISÃO POR MORTE DE CABO PM NO SERIDÓ POTIGUAR

Acabou nesta quarta-feira (28), o júri popular dos três réus acusados de planejar e matar o cabo da Polícia Militar Edinaldo Alves da Costa Rangel, crime ocorrido em abril de 2016 na cidade de Caicó, na região Seridó potiguar. Somadas, as penas passam de 65 anos de prisão. Rita de Cássia Medeiros Alves Rangel, cabeleireira e viúva da vítima, foi condenada a 26 anos de prisão, enquanto que, Valdinez Fernandes dos Santos, apontado como amante de Rita pegou pena de 21 anos de prisão, e o filho de Rita, Thiago Medeiros Conforte, vai cumprir 18 anos e 9 meses de prisão. 


 


No processo, consta que Rita de Cássia foi a mandante do crime, ou seja, a pessoa que planejou a morte do próprio marido. Seu filho, Thiago, ainda segundo as acusações, foi quem deu apoio logístico. Já Valdinez Santos, a pessoa que executou o policial com tiros à queima-roupa. 





O cabo Rangel, como era mais conhecido, foi morto a tiros no dia 19 de abril de 2016, no bairro Alto da Boa Vista, em Caicó. O PM dirigia seu carro, um veículo Gol de cor branca, quando foi baleado. Ao seu lado, estava Rita de Cássia. Eles tinham deixado roupas para lavar. O destino dos dois era o Fórum Amaro Cavalcante, aonde ela receberia alvará para liberação de cerca de R$ 16 mil. Rangel queria o dinheiro para pagar dívidas, mas a mulher não concordava. Esse teria sido o motivo do crime.

0 comentários:

Postar um comentário