8 de outubro de 2017

POLÍCIA ACHA CABEÇA DE JORNALISTA SUECA

A polícia dinamarquesa anunciou neste sábado (07/10) que encontrou na baia de Koge, no sul de Copenhague, a cabeça e pernas da jornalista sueca Kim Wall, desaparecida em agosto, após ter sido vista pela última vez a bordo de um submarino privado.
 
 
 
 
Mergulhadores da Marinha da Dinamarca encontraram um saco com roupas da jornalista e uma faca e outro contendo a cabeça e as pernas dela. Ambos continham pedaços de metal, possivelmente para facilitar que afundassem.
 
 
 
 
 
O chefe da investigação, Jens Moller Jensen, informou não haver fraturas no crânio e que outras partes do corpo apresentam ferimentos menores. A causa da morte não foi esclarecida.
 
 
 
 
O torso de Kim Wall apareceu flutuando no Báltico em 21 de agosto, quase duas semanas depois de ela ter sido vista pela última vez a bordo do Nautilus, o submarino de fabricação caseira em que tinha embarcado para entrevistar o inventor Peter Madsen.
 
 
 
 
O inventor afirma que Wall morreu acidentalmente no submarino, depois que a tampa da escotilha caiu na cabeça da repórter. Ele disse ainda que, depois de navegar sem rumo por várias horas e pensar em suicídio, jogou o cadáver para fora da embarcação, inteiro e com todas as roupas.
 
 
 
 
Madsen, conhecido pelos seus projetos de submarinos, está em prisão preventiva, acusado de homicídio e profanação de cadáver.
 
 
 
 
 
Investigação policial concluiu que o corpo foi cortado intencionalmente, e que o torso trazia presos tubos metálicos e tinha cortes possivelmente produzidos para facilitar a saída de gases do seu interior e evitar que viesse à superfície.
 
 
 
 
A hipótese com que as autoridades trabalham é que, nas quatro horas em que o submarino esteve submerso no Báltico na noite do crime, Madsen desmembrou o corpo e se desfez dele.

0 comentários:

Postar um comentário