1 de julho de 2019

AUDIÊNCIA DESTACA DEFICIÊNCIA NO ATENDIMENTO PSIQUIÁTRICO NO SERIDÓ

A audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa, por proposição do deputado Vivaldo Costa (PSD), para discutir a Valorização da Vida e os Desafios de Como Enfrentar a Depressão e o Suicídio chegou ao seu final na sexta-feira à noite (28), no plenário da Câmara de Vereadores de Caicó com duas certezas: a doença mental cresceu muito no Seridó, notadamente em Caicó e faltam locais para o tratamento de pacientes.








Os qualificados palestrantes e debatedores que participaram da audiência não pouparam críticas à inexistência de alternativas para o tratamento especializado de pessoas com a doença, desde que foi fechado o hospital Psiquiátrico Milton Marinho, em Caicó.




A audiência começou com uma exposição da psicóloga Edna Fidélis sobre o programa de conscientização “Vida Fala Mais Alto”, lançado por ela em São José do Seridó, em 2013 para esclarecer a população que suicídio é um problema público. O índice de suicídio era muito alto para uma população de pouco mais de quatro mil habitantes, conseguindo zerar o número de suicídios no município.




O psiquiatra Salomão Gurgel Pinheiro disse, em depoimento emocionado, que a psiquiatria é uma ciência que tem de tratar do doente mental. Desde 1981, Salomão atua na cidade e vem lutando para se conseguir uma assistência com base científica para o povo do Seridó.




Ao final dos trabalhos, o deputado Vivaldo Costa anunciou que está sendo formado um grupo de especialistas para executar um plano piloto na cidade de Timbaúba dos Batistas para desenvolver um estudo aprofundado para se identificar o nível de influência da consanguinidade – a relação entre indivíduos que apresentam determinado grau de parentesco - nos casos de suicídio.

0 comentários:

Postar um comentário