5 de agosto de 2018

“VIVA”! JUSTIÇA CONCEDE LIBERDADE A MULHER ACUSADA DE MANDAR MATAR O MARIDO EM SP

A Justiça concedeu um habeas corpus e determinou a liberdade para a professora Eliana Freitas Areco Barreto, que ficou três anos presa acusada de mandar matar o marido, o diretor comercial Luiz Eduardo de Almeida Barreto, na região da Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, na Zona Sul de São Paulo, em 2015. Eliana teria contado com a ajuda do amante, o inspetor de segurança Marcos Fabio Zetunsian, que contratou um pistoleiro para matar o marido dela. 









A professora estava presa desde a época do crime aguardando julgamento. A defesa dela entrou com vários pedidos de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça, que por sua vez, remeteu ao Supremo Tribunal Federal. 





O ministro Marco Aurélio Mello decidiu conceder liminar no início da julho dando a Eliana o direito de responder em liberdade e de permanecer em sua cidade (Guaratinguetá, no Vale do Paraíba) e comparecer à Justiça sempre que requisitada. A decisão não se estende ao amante. 




De acordo com a acusação do Ministério Público (MP), o pistoleiro Eliezer Aragão foi contratado pelo inspetor Marcos, que pagou o criminoso com o dinheiro da professora Eliana. O pistoleiro foi preso. 





Em janeiro de 2016, a Justiça desmembrou os processos dos supostos mandantes e do acusado de atirar na vítima. O atirador Eliezer foi julgado em maio de 2017 e condenado a 26 anos de prisão.





0 comentários:

Postar um comentário