10 de agosto de 2017

“NOIS SÓ QUER COBRAR A MORTE DO NOSSO IRMÃO, ENTENDEU?”, DIZ PCC DE SP APÓS MORTE DE LÍDER DO RN

A guerra entre facções criminosas no Golandim ganhou um novo capítulo após a morte do líder do PCC potiguar, “Eduardinho do Mosquito”. A liderança da facção paulista em São Paulo enviando um salve geral para os “irmãos” no Rio Grande do Norte e já vai logo avisando que as cidades de Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante irão “tremer”, pois a morte do “irmão” no último domingo (6) não ficará sem resposta.
 
 
 
 
A guerra que acontecia apenas em dois polos parece que irá atingir mais regiões, inclusive com um “aviso” direcionado a Polícia Militar (PM) em que “os cana” não atendessem as ocorrências, pois a guerra não era "sua”. A disputa entre eles se iniciou no ultimo domingo (6) após a morte do líder do PCC no estado, que retornava da casa de sua mãe e foi morto na rotatória de acesso à cidade de Extremoz. Na ocasião um carro encostou ao lado do seu e seus ocupantes efetuaram mais de 30 disparos. Ele foi atingido por maioria dos projeteis e sua namorada foi atingida de raspão no braço. A companheira de “Eduardinho” o levou para o Hospital Santa Catarina, mas ele já chegou a unidade de Saúde sem vida.
 
 


Assumiu a autoria do crime o Sindicato do Crime do Rio Grande do Norte, que informou que os crimes seriam apenas o começo. E desde então, um verdadeiro banho de sangue foi derramado nas ruas do Golandim, em São Gonçalo do Amarante na comunidade do Mosquito na zona Norte de Natal.
 
 
 


No mesmo domingo (6) veio a resposta, mais duas mortes de membros do Sindicato do Crime identificados como Carlos Alexandre Lemos, 25 anos, e Daniel Pereira da Silva, 24 anos, foram mortos a tiros no Golandim. Já na segunda mais um do Sindicato tombou e a troca de tiros ficou intensa no São Gonçalo do Amarante. Até grampos foram espalhados nas ruas para impedir a entrada da Polícia Militar no bairro durante a noite e ao que tentaram o percurso a pé tiveram que voltar sob fogo dos criminosos.
 
 
 

Na noite de terça-feira (8), foi morto Francisco Rodrigues da Silva, que estava na comunidade do Mosquito quando dois homens chegaram em uma moto efetuando diversos disparos. A vítima foi atingida e caiu no chão sem vida. Rodrigues era irmão de “Joel do Mosquito”, morto em 2015 na Cadeia Pública de Natal, e também de “Eduardinho do Mosquito”. Segundo informações da Polícia Militar a morte de Francisco Rodrigues teria relação com a disputa entre as facções que duelam pelo comando do tráfico de drogas no Rio Grande do Norte.
 
 
 


E o mais recente capitulo foi o envio de um áudio das lideranças do PCC nos grupos da facção do Whatsapp em que ele informa que “Viemos através deste salve geral pros irmãos do RN, que o Primeiro Comando da Capital vai taca fogo no Golandim, Mãe Luiza e Parnamirim. Nós sabemos que tem lixo do sindicato morando nos condomínios, certo? Também no engenheiro e no América. Fica esperto irmão, a morte do Eduardinho será cobrada de .762. Segundo aviso para os cana, não vai para a ocorrência que essa guerra não é sua. Natal vai tremer certo? Nois só quer cobrar a morte do nosso irmão, entendeu?”.
 
 


A resposta do sindicato não demorou a ser veiculada nas redes chamando o seus membros para a batalha. “É tem uma noticia ai pra todos ficar mais ligeiro ainda, por isso que tô todo me armando. Tô todo coisando parceiro. Vamo começar a se reunir meu filho, Chegou uma galera de bicho de São Paulo no Mosquito ai, vai ser ataque, vai ser mata (matança) e principalmente no Golandim. Disse que vai dar butada (caçada) até cobrar a morte de Eduardinho. Pois é parceiro vamos ficar espertos. Vamos se reunir, fazer o que eu tô dizendo vamo se acamponar nas quebradas e esperar que nóis pega viu. O que tiver de arma ai vamo butar pra fora".
 
 
 
Do Blog: Sabem qual dinheiro financia toda essa guerra? O dinheiro dos "coitadinhos", "inocentes" e "inofensivos" viciados em drogas. Isso é Brasil!
 




0 comentários:

Postar um comentário