17 de março de 2017

PRESOS FICAM DE CASTIGO SEM COLCHÕES, VENTILADORES E SEM VISITAS APÓS MOTIM EM CADEIA DO RN

Presos da Penitenciária Agrícola Doutor Mário Negócio, em Mossoró, cidade da região Oeste potiguar, vão dormir no concreto e passarão calor por um bom tempo. É que a Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc) mandou recolher todos os colchões e ventiladores dos detentos da unidade. A medida, segundo o secretário Wallber Virgolino, foi aplicada como um castigo após um motim ocorrido nesta quinta-feira (16). “É para aprenderem a preservar o patrimônio público”, afirmou. A unidade possui 379 homens no regime fechado.
 
 
 
 
 
Como castigo, Sejuc recolheu ventiladores e colchões dos presos (Foto: Sejuc/Divulgação)
 
 
 
 
 
Pela manhã, presos fizeram uma algazarra dentro da penitenciária durante o horário de visita íntima. Soltos pelos pavilhões, houve quebra-quebra, pergolados das paredes foram destruídos, objetos queimados e, por muito pouco, grupos rivais não se enfrentaram. A confusão durou 40 minutos. Não houve mortes, mas alguns detentos ficaram feridos e precisaram de socorro médico. Pelo menos 14 teriam foram levados para atendimento no Hospital Regional Tarcísio Maia.
 
 
 
 
 
Os detentos quebraram os pergolados e subiram até o telhado da unidade, ameaçando os rivais (Foto: Sejuc/Divulgação)
 
 
 
 
 
"Espero que eles aprendam. Além do castigo de ficarem sem ventilares e colchões, também já ordenei a suspensão das visitas do fim de semana. E também vai ser aberta uma sindicância, onde os responsáveis pela algazarra e quebradeira deverão ser punidos", acrescentou Virgolino.
 
 
 
 
 
Presos ficaram feridos durante motim na Penitenciária Mário Negócio em Mossoró  (Foto: Divulgação/PM)
 
 

 
De acordo com o secretário, os agentes do Grupo de Escolta Penal (GEP), da própria penitenciária e policiais militares precisaram intervir para evitar o confronto entre os presos. Os detentos quebraram os pergolados e subiram até o telhado da unidade, ameaçando os rivais. “Eles trocaram ameaças e tentaram se enfrentar, mas a ação foi impedida pelos agentes”, relatou Virgolino.
 
 
 
 
Fotos: Divulgação/PM/Sejuc.

0 comentários:

Postar um comentário