5 de fevereiro de 2019

BOMBA! STF MANDA ABRIR AÇÃO CONTRA A JUÍZA AMANDA GRACE, O EX-PREFEITO PATRÍCIO JÚNIOR E O ESPOSA DA JUÍZA, ALVARO DIAS

Depois dos ex-desembargadores do TJ-RN Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro terem sido afastados por atos de improbidade, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, autorizou a abertura de ação de improbidade administrativa contra a juíza de Direito Amanda Grace Diógenes Freitas Costa Dias. 











A decisão do ministro nos autos do RE 771077 foi publicada no dia 1º de fevereiro e atende ao pedido do Ministério Público Federal, que acusa a magistrada por práticas de atos ímprobos previsto no art. 11, II, da Lei 8.429, e prevê entre outras sanções a perda da função pública, além do pagamento de multa civil de até 100 vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. 






A magistrada que agora será réu no processo de improbidade autorizado pelo Supremo Tribunal Federal sofreu várias derrotas sucessivas nas instâncias superiores. A juíza Amanda Grace é defendida pelo advogado Felipe Cortez que perdeu no STJ e perdeu novamente perante o STF.  






A ação de improbidade administrativa ajuizada em 2007 pelos procuradores da República do Núcleo de Combate à Corrupção do MPF/RN tem também como réus o marido da magistrada, o então deputado estadual Álvaro Costa Dias e hoje prefeito de Natal; e o ex-prefeito do município de Jardim do Seridó, Patrício Joaquim de Medeiros Júnior.





De acordo com a investigação do MPF, a juíza Amanda Grace praticou atos que violaram os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade perante a Justiça Eleitoral. Isso porque exerceu as funções de juíza eleitoral da 23ª Zona, em Jardim do Seridó, de setembro de 2002 a abril de 2004 sem praticar nenhum ato processual em dois processos penais eleitorais.





Ambos apuravam a possível prática de crimes eleitorais por Patrício Joaquim de Medeiros Júnior. O ex-prefeito possui laços de parentesco e vínculos políticos com Álvaro Dias e o apoio na campanha ao cargo de deputado estadual em 2002. Os dois pertenciam à mesma legenda, o PDT.





Mesmo após deixar a Zona Eleitoral de Jardim do Seridó, a magistrada teria permanecido de posse dos dois processos até 5 de dezembro de 2005, só os devolvendo, pelos Correios, depois que uma servidora do cartório eleitoral solicitou expressamente, por ordem da nova juíza local.





Do Blog: Na época dos fatos, fui o único jornalista que teve coragem de fazer essas denúncias, e era perseguido pelo então prefeito e alguns babões dele. Mas sempre achei que vale à pena trabalhar com responsabilidade, pois todas as denúncias que fiz, foram comprovadas. E agora, o que vão falar? Vão perseguir o Ministro do STF? É Peia! Aqui se mostra a verdade de verdade!
 

1 comentários:

Parabéns Paulinho.
Isso prova a credibilidade do seu trabalho, mesmo sendo perseguido por uma meia dúzia de Jardinenses que se diziam LOUCOS e que mamavam no governo do Doido Patrício Jr.

Postar um comentário