12 de outubro de 2018

COM TÉCNICA DE RECONHECIMENTO FACIAL, ACUSADO DE MATAR PUBLICITÁRIA NO RN É PRESO 21 ANOS APÓS O CRIME

O Ministério Público do Rio Grande do Norte, em um trabalho conjunto com as polícias Civis de Goiás e do Rio de Janeiro, conseguiu localizar um homem acusado de matar uma publicitária em Natal – crime ocorrido há 21 anos. A prisão, ainda de acordo com o MP, foi possível graças a uma avançada técnica de reconhecimento facial.










O acusado é o pedreiro Gilson Pegado da Silva, que foi preso na tarde desta quarta (10) no Rio de Janeiro, pela Polícia Civil carioca. Ele usava documentos falsos e só foi identificado após um reconhecimento facial feito pela Polícia Civil de Goiás, por meio de avançadas técnicas de identificação humana por comparação de imagens. O trabalho foi feito pela Seção de Inovação em Identificação Humana (SIIH), que é referência no Brasil.




No dia 23 de setembro de 1997, segundo o MP, Gilson Pegado invadiu uma residência no bairro de Ponta Negra, na Zona Sul de Natal, para praticar um roubo. A dona da casa, a publicitária Sílvia Mannu, à época com 34 anos, reagiu e acabou assassinada com 23 facadas na frente da filha, que tinha apenas 3 anos. O crime chocou a sociedade potiguar pela brutalidade com que foi cometido. 





"Depois do crime, Gilson Pegado foi preso, mas passou a responder em liberdade. Ele fugiu e até então não havia sido localizado, o que prejudicou a continuidade da ação penal. Gilson nunca foi julgado pelo crime que cometeu, pois a legislação determina a suspensão do andamento do processo nesses caso, e só agora será possível a retomada da ação penal", ressaltou o MP.

0 comentários:

Postar um comentário