22 de julho de 2017

CASO ENVOLVENDO DELEGADO E EX-PREFEITO DE SANTANA DO SERIDÓ REPERCUTE NA IMPRENSA NACIONAL

A denúncia contra o delegado Luiz Antônio da Silva Filho, e o ex-prefeito de Santana do Seridó, Adriano Gomes, “Dril”, acusados de abastecerem seus veículos pessoais com combustível que deveria ser destinado à viaturas da Polícia Civil, virou notícia nos principais meios de comunicações do País.
 
 
 
 

 
 
Conforme print, um dos mais importantes sites de notícias do Brasil, o G1, estampou a manchete da matéria em sua primeira página, como matéria de destaque do Estado do Rio Grande do Norte.
 
 
Além de sites, blogs e outros meios de comunicações virtuais, a denúncia foi matéria de vários telejornais, que alegam não terem encontrado os acusados para darem suas versões sobre o caso.
 
 
As investigações foram iniciadas por determinação da Delegacia Geral de Polícia Civil, e tiveram condução compartilhada entre a 3ª Delegacia Regional de Caicó e a Delegacia Especializada da Defesa do Patrimônio Público (Dedepp).
 
 
Segundo a delegada que apurou o caso, Karla Viviane, da Delegacia Especializada da Defesa do Patrimônio Público, um acordo realizado sem formalização legal entre o então prefeito, Adriano Gomes de Oliveira, e o delegado Luiz Antônio permitiu, a título de auxílio, que as viaturas policiais pudessem ser abastecidas no mesmo estabelecimento, sob custos da Prefeitura de Santana do Seridó. O fornecimento da gasolina era autorizado somente para as viaturas das polícias Civil e Militar. Isso ficou bem claro nas investigações”, enfatiza a delegada.

 

 
 

Ocorre que, ainda de acordo com a delegada Karla Viviane, os combustíveis estavam sendo desviados para fins particulares. Luiz Antônio Filho estaria abastecendo o seu veículo no local. “Ele recebia todas as notas para autorização de combustível”, acrescenta.

 

 

Segundo Karla Viviane, o delegado Luiz Antônio Filho já foi, inclusive, indiciado por peculato. “Vamos informar à corregedoria, que deve tomar as medidas cabíveis”, complementou a delegada. Atualmente ele comanda a Delegacia de Caraúbas.

 

 

A delegada diz que o nome do ex-prefeito Adriano Dril apareceu durante as investigações que apuravam a conduta do delegado. “Quando ouvimos as testemunhas, elas disseram que o ex-prefeito também abastecia o seu veículo particular nas mesmas condições”, conta.

0 comentários:

Postar um comentário