11 de julho de 2017

CASA DURVAL PAIVA HÁ 22 ANOS CELEBRA A VIDA

A Casa Durval Paiva completa 22 anos nesta terça, 11/07, cumprindo a missão de atender a criança e ao adolescente com câncer e doenças hematológicas crônicas e seus familiares, durante e após o tratamento, buscando a cura, contribuindo para o resgate da cidadania, dignidade e a qualidade de vida. São 1.337 crianças e adolescentes atendidos desde a fundação. Hoje, 1077 pacientes estão cadastrados, sendo 537 em tratamento, vindos de 133 municípios do Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Piauí e Sergipe.
 
 
 
 
 
 
 
 
Pacientes e acompanhantes apagam velinhas nesta terça, às 15h, na instituição, e na quinta, 13/07, farão um passeio terapia pelo rio Potengi, no barco Chama Maré do Idema.
 
 
 
 
 
A Casa oferece acolhimento, hospedagem, alimentação, mediação do atendimento médico hospitalar; encaminhamentos e transporte para exames e consultas; além de promoção do bem estar, com apoio multiprofissional - psicológico, social, nutricional, fisioterápico, odontológico, farmacêutico, pedagógico, arte terapêutico e terapêutico ocupacional.
 
 
 
 
 
Através do Projeto Vida, a Durval Paiva já construiu 84 casas e reformou 125, proporcinando condições dignas de moradia aos pacientes e seus familiares. A Campanha do Diagnóstico Precoce capacita profissionais de saúde e alcança todo o Estado com informações sobre os principais sinais e sintomas do câncer infantojuvenil, que podem ajudar a propiciar a cura, sem sequelas, a milhares de crianças e adolescentes.
 
 
 
 
Outros projetos como a Classe hospitalar/domiciliar - implantada de forma pioneira pela Casa no RN; Viver Feliz; Viva Leitura; Recanto Cultural, Coral Bem Viver; Moda, vida e arte; projeto Novo Rumo; além do projeto O Futuro é Agora são desenvolvidos numa proposta de humanização e inclusão social dos atendidos.
 
 
 
 
 
A Casa Durval Paiva é mantida pela sociedade, através de doações e gestos solidários.  Diversos parceiros e apoiadores também contribuem com a instituição, que hoje conta com 96 colaboradores e a ajuda de dezenas de voluntários.
 
 
 
 
 
Centenas de histórias podem ser contadas na Durval Paiva, umas de perdas outras tantas de curas, mas a tônica principal é a celebração da vida, enquanto ela possa existir.

0 comentários:

Postar um comentário