25 de maio de 2017

BEIRA-MAR DEIXA PENITENCIÁRIA FEDERAL DE RONDÔNIA E VEM PARA O RN

O traficante Fernandinho Beira-Mar foi transferido na manhã desta quinta-feira (25) da Penitenciária Federal de Rondônia. O comboio do Sistema Penitenciário Federal e Polícia Federal chegou por volta das 9h50 no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira em Porto Velho. Beira-Mar foi transferido após a deflagração da Operação Epístolas, que através de investigações mostrou que, mesmo do presídio, o preso ainda comandava negócios que chegaram a movimentar R$ 9 milhões nos últimos anos.
 
 
 
 
 
 
 
O destino do será o RN, mas o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) por segurança, ainda não confirmou, o que só deve fazer  após a chegada do traficante. Ele foi levado por uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) com cerca de 20 agentes federais. O embarque foi por volta das 11h.
 
 
 
 
Beira-Mar foi ouvido na última quarta-feira (24) pela Polícia Federal dentro do presídio após cumprimento de mandados de busca de apreensão na unidade. Uma câmera de segurança do sistema do presídio flagrou o momento em que Fernandinho e outro comparsa trocavam bilhetes por meio de 'teresas' entre as celas.
 
 
 
 
A Operação Epístolas foi uma ação conjunta do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), a Polícia Federal e o Ministério Público Federal de Rondônia. Os mandados de prisão, busca e apreensão, apesar de terem sido cumpridos em sua maioria no Rio de Janeiro, foram emitidos pela Justiça Federal de Rondônia.
 
 
 
 
A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão dentro da penitenciária federal em Porto Velho, onde cinco presos são suspeitos de envolvimento no esquema de Beira-Mar, que por meio de bilhetes, enviava informações de comando para advogados e integrantes de sua família. Dessa forma gerenciou, pelo menos, durante o último ano e meio, a diversificação de seus negócios.
 
 
 
 
Agentes Federais do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e Policiais Federais fizeram revista em celas em cumprimento aos mandados de busca e apreensão emitidos pela Justiça Federal de Rondônia. A investigação começou há mais de um ano, após os agentes federais encontrarem um bilhete picotado em uma das marmitas do presídio.
 
 
Fonte:G1.  

0 comentários:

Postar um comentário