24 de janeiro de 2017

CONSTRUÍDO POR GARIBALDI FILHO, ALCAÇUZ QUE É TIDA COMO UM GRANDE ERRO, CUSTOU 10 MILHÕES

Construído em cima de dunas, onde túneis são escavados até com as mãos limpas, (sem ferramentas), em 98, Alcaçuz foi anunciada pelo governo de Garibaldi Alves Filho como a solução para acabar com os problemas gerados pela Penitenciária Central Doutor João Chaves, conhecida por “Caldeirão do Diabo”. A construção é tido como um grande erro, haja vista a facilidade de escavação de túneis.
 
 
 
 
 
 
Passado todo esse tempo, Alcaçuz se tornou o centro das atenções entre as atuais dificuldades enfrentadas pelo sistema carcerário. A construção inicial, segundo o que foi à época divulgado, custou R$ 10 milhões aos cofres públicos.
 
 
Quatro meses depois de ser posta em funcionamento, a penitenciário já registrou a primeira fuga. Um detento considerado de confiança saiu pela porta da frente, sem ser notado. Naquele momento os túneis, que hoje são rotineiramente encontrados sob as celas, não eram comuns.
 
 
Dois anos depois de abrir os portões, a Penitenciária de Alcaçuz assistiu a uma das fugas que marcaram a história do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte.
 
 
 
O assaltante de bancos Valdetário Carneiro foi resgatado por seu bando do presídio. Os homens chegaram em carros com armas de grosso calibre, inclusive uma metralhadora ponto 50, usada pelo Exército, e conseguiram tirar Valdetário da unidade à força, atacando as guaritas.
 
 
 
Além dele, outros 28 apenados conseguiram fugir, no episódio que se caracterizou na época como a maior fuga da história. O número foi batido em 2012, na evasão em massa que colocou 41 detentos na rua.
 
Os primeiros túneis começaram a ser descobertos pelos agentes penitenciários ainda no início dos anos 2000.
 
 
A penitenciária construída para ser a solução o caótico do sistema penitenciário passou a ser um dos motivos de dor de cabeça para o Executivo que, em meio à crise orçamentária, busca encontrar maneiras para providenciar melhorias.

0 comentários:

Postar um comentário