20 de novembro de 2018

FILHO É CONDENADO POR MATAR E CONCRETAR A MÃE DE 74 ANOS NO RS


O gaúcho que matou e concretou o corpo da própria mãe em um armário, Ricardo Jardim foi condenado a 28 anos nesta segunda-feira (19), em Porto Alegre. Da pena, 27 anos deverão ser cumpridos em regime de reclusão, ou seja, na prisão, e um ano em regime de detenção, que pode ser em regime aberto ou semiaberto. A vítima, Vilma Jardim, tinha 76 anos na época do crime. 








Jardim foi considerado culpado por três crimes: homicídio duplamente qualificado (motivo torpe ou meio cruel), ocultação de cadáver e posse de arma. Ele nega ter matado a mãe, assumindo apenas que escondeu o corpo após ela ter se matado. O advogado de Jardim, Renato Ferreira, afirma que seu cliente recorrerá da sentença. Ricardo está preso. 





A data estimada do crime é entre abril e maio de 2015, no apartamento em que Ricardo e a vítima moravam, no bairro Mont’Serrat, na Zona Norte da capital gaúcha. Ele chegou a confessar o crime a um policial que havia recebido a denúncia e foi investigar o apartamento, mas, em depoimento à Justiça, o suspeito ficou em silêncio.

0 comentários:

Postar um comentário