4 de setembro de 2018

CRÍTICA DA CORRUPÇÃO, ZENAIDE MAIA TEM IRMÃOS E SOBRINHO ENVOLVIDOS DE ESCÂNDALOS

Apesar de ter ganhado notoriedade por causa do discurso de combate à corrupção e de intolerância com a má gestão dos recursos públicos, a deputada federal Zenaide Maia, candidata ao Senado pelo PHS, tem pelo menos três parentes envolvidos em escândalos de desvios de verba no Rio Grande do Norte.



Dois deles, o irmão João Maia e o sobrinho Gledson Maia estão implicados na operação Via Ápia. Deflagrada em 2010, a ação investiga desvio de recursos de obras federais executadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no RN.




Segundo o Ministério Público Federal (MPF), as irregularidades envolveram a duplicação do Lote 2 da BR-101, um trecho de 35 quilômetros entre o município de Arez e a divisa do Rio Grande do Norte com a Paraíba. Foram identificados má execução dos serviços, omissão na fiscalização, prorrogação indevida de prazos e transferência irregular de recursos, sem contar a liberação de trechos sem licença de operação.




O MPF estima um desvio de R$ 13,9 milhões, subtraídos dos cofres públicos por meio de pagamentos de propina a funcionários do DNIT em troca do favorecimento de empreiteiras. Gledson Maia, sobrinho de Zenaide então chefe de Engenharia do órgão, foi apontado como um dos principais beneficiários.




Em agosto deste ano, a Justiça Federal condenou Gledson a 4 anos e 6 meses de reclusão, inicialmente em regime aberto. A pena dele seria três vezes maior caso ele não tivesse fechado acordo de colaboração premiada com o MPF.




Na delação, o sobrinho de Zenaide esclareceu fatos investigados e apontou João Maia (irmão de Zenaide) como beneficiário de parte das propinas do DNIT. Por causa disso, João foi denunciado pelos crimes de peculato, corrupção passiva, associação criminosa, crimes contra licitações e lavagem de dinheiro.





Outro irmão de Zenaide, Agaciel Maia teve participação no chamado “Escândalo dos Atos Secretos”, que consistiu na não publicação de uma série de atos administrativos do Senado Federal, de onde Agaciel era diretor geral. Ele, que é atualmente deputado distrital no Distrito Federal, foi condenado por improbidade administrativa.





Conforme a acusação, ao impedir a publicação dos atos em veículos como o Diário Oficial da União, o Diário do Senado e o Boletim Administrativo do Pessoal do Senado, Agaciel e senadores que compunham a Mesa Diretora tentavam evitar que o público tivesse conhecimento sobre irregularidades como nomeação de parentes para cargos comissionados, criação ilegal de cargos e liberação de vantagens indevidas para funcionários.





Atualmente candidata ao Senado pelo PHS, Zenaide Maia se notabilizou durante o mandato de deputada federal pelo discurso de combate à corrupção e de identificação com pautas progressistas. Na propaganda eleitoral veiculada na TV e no rádio, a deputada registra que votou a favor da abertura de investigação contra o presidente Michel Temer – que foi arquivada pela Câmara.






Única deputada federal a votar contra o impeachment que resultou na cassação da presidente Dilma Rousseff, Zenaide integra no Rio Grande do Norte o palanque do PT, cujo principal líder – o ex-presidente Lula – cumpre pena pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.



Do Blog: Como diz o ditado popular: "O "macaco" senta no rabo, e olha o rabo do outro".

0 comentários:

Postar um comentário