8 de fevereiro de 2017

FUGITIVO DE ALCAÇUZ E COMPARSAS SÃO PRESOS COM FUZIS NO PE

Três homens foram presos, em flagrante, transportando dois fuzis, munição e uma pistola ponto 40, na Zona Sul do Recife, nesta terça-feira (7). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o trio é suspeito de integrar uma quadrilha especializada em assaltos a banco. Eles podem ter participação no assalto que assustou moradores e turistas em Porto de Galinhas, no Litoral Sul.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Uma movimentação suspeita em um lava à jato da Rua Ernesto de Paulo Santos, em Boa Viagem, na Zona Sul da capital, chamou a atenção de agentes do Núcleo de Operações Especiais da PRF. Ao consultar as placas de alguns veículos, foi constatado que um deles tinha placa clonada.
 
 
 
 
 
A força-tarefa da Polícia Civil e da Polícia Militar foram acionadas e, juntas, as equipes fizeram a abordagem dos suspeitos. Houve perseguição pelas ruas do bairro, que resultou na prisão de três homens e na localização do armamento. Um quarto suspeito conseguiu fugir.
 
 
 
 
 
Dois dos homens do trio são do município de Parnamirim, no Rio Grande do Norte, e um deles, segundo a Polícia Civil, é foragido do presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte. O terceiro envolvido é natural do Paraná.
 
 
 
 
 
Os policiais informaram que uma das armas seria uma AK-47. “Esse é um armamento de origem americana, são armas de alto poderio e possivelmente utilizadas pelo Exército”, explica Walter Benjamim, comandante da Rádio Patrulha da Polícia Civil. De acordo com o coronel, algumas das armas são capazes de perfurar blindagem. O material foi encaminhado para a Delegacia do Jordão, na Zona Sul da capital. Os suspeitos, autuados em flagrante por porte de armas, também seguiram para o mesmo local.
 
 
 
 
De acordo com o delegado Joel Venâncio, as investigações do caso serão compartilhadas com a força-tarefa que atua para combater os assaltos a agências bancárias, com o objetivo de verificar se há participação da quadrilha nas recentes investidas contra bancos em Pernambuco. “Vamos checar se essas armas foram utilizadas nos assaltos e comparar os projéteis. Vamos conseguir dizer, mais adiante, em quais casos essas armas foram utilizadas”, revela.

0 comentários:

Postar um comentário