7 de janeiro de 2017

'TINHA ERA QUE MATAR MAIS' E 'TINHA QUE FAZER UMA CHACINA POR SEMANA', DIZ SECRETÁRIO DE TEMER ANTES DE PEDIR DEMISSÃO

O secretário nacional de Juventude, Bruno Júlio, pediu demissão após dar uma declaração polêmica sobre as chacinas nos presídios de Roraima e Manaus, informou a assessoria do Palácio do Planalto, e o pedido foi aceito pelo presidente da República, Michel Temer.
 
 
 
Bruno Júlio, que é filiado ao PMDB e havia sido nomeado para a secretaria em junho, afirmou que tinham que ter matado mais presos e que deveria haver uma chacina por semana - e reafirmou a declaração em sua página pessoal no Facebook, antes de pedir demissão.
 
 
 
 
Diante da repercussão em torno da declaração, Bruno Júlio divulgou uma nota no perfil dele no Facebook, na qual disse ter falado "como cidadão, em caráter pessoal".
 
 
 
 
"Está havendo uma valorização muito grande da morte de condenados, muito maior do que quando um bandido mata um pai de família que está saindo ou voltando do trabalho."
 
 
 
 
"Os santinhos que estavam lá dentro que estupraram, mataram [chamam de] 'coitadinho', 'ai, meu Deus, eles não fizeram nada', 'foram [mortos] injustamente'... Para, gente!", continuou o secretário.
 
 
 
 
"Esse politicamente correto que está virando o Brasil está ficando muito chato."
 
 
 

Para o secretário, "é óbvio que tem que investigar" as mortes nas penitenciárias.
 
 
 
 
Do Blog: Esse secretária disse o que a grande maioria gostaria de dizer mas não tem coragem. Os "coitadinhos" dos apenados estão se matando num guerra particular pelo poder do crime, e ainda tem gente com pena. Cadê a preocupação com milhares de pessoas de bem que morrem nas mãos dos bandidos? Deveriam separar presos comuns de bandidos perigosos, que são reincidentes, e que mesmo presos continuam no mundo do crime. Isso sim!
 
  
 
 
 

0 comentários:

Postar um comentário