1 de novembro de 2016

AUMENTO DE GÁS DE COZINHA É DE NO MÁXIMO 50 CENTAVOS, GARANTE PRESIDENTE DA PETROBRAS

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, admitiu nesta terça-feira (1º) que a redução de subsídios ao GLP, o gás de cozinha, pode aumentar o preço do botijão para o consumidor. Ele considerou, no entanto, que o impacto deve ser "pequeno".
 
 
 
"O impacto que a gente calcula que possa ter é de 50 centavos, em alguns lugares até menos que isso", disse Parente, enfatizando a expectativa de que o eventual reajuste no preço "seja contido nessa dimensão".
 
 
 
Parente destacou ainda que a Petrobras não alterou o valor do GLP. "O que está sendo feito é uma mudança realizada na logística. Não houve reajuste do GLP, a tabela [de preços] é exatamente a mesma".
 
 
 
O presidente da Petrobras explicou que o objetivo da companhia foi eliminar os subsídios cruzados no âmbito da logística do gás, viabilizando novos investimentos na própria logística.
 
 
 
"O objetivo é que você possa ter em relação às empresas que compram o gás um preço justo pela infraestrutura da Petrobras que elas utilizam", disse.

0 comentários:

Postar um comentário