13 de julho de 2015

MESMO COM 420 KG, NORDESTINO É DESNUTRIDO, DIZ MÉDICO

Os primeiros exames feitos em Carlos Antônio dos Santos Freitas, 28 anos, que está internado há cinco dias no Hospital das Clínicas (HC), no Recife, para se tratar de um quadro extremo de obesidade – ele pesa 420 kg –, mostram que ele não é hipertenso nem anêmico, mas sofre de desnutrição grave. A avaliação foi repassada pelos médicos que o atendem, em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (13). Doze equipes de profissionais de várias áreas estão cuidando do paciente.

Carlos Antônio Freitas foi internado no Hospital das Clínicas, na UFPE, nesta quinta-feira (Foto: Reprodução / Enviada por WhatsApp)

De acordo com Álvaro Ferraz, chefe do serviço de cirurgia-geral do HC, o fato de ele não ter anemia nem hipertensão mostram que o caso dele é grave, mas menos do que se esperava.

Conforme o exame de sangue, a desnutrição é causada por ausência de proteínas, uma vez que a dieta de Carlinhos, como é chamado, era rica em carboidratos, mas não continha carnes. Segundo Ferraz, é um problema difícil de tratar, pois a reposição de proteínas é demorada, e sua ausência pode provocar complicações em outros órgãos.

A partir desta segunda-feira, profissionais de educação física e de fisioterapia vão começar a traçar um planejamento de exercícios para o paciente, iniciamente com atividades para fazer em cima da cama. O objetivo é diminuir o inchaço das pernas, causado pela retenção de líquidos. A expectativa dos médicos é que ele perca 100 kg apenas tratando essa retenção de líquidos.

Os médicos disseram ainda que, segundo a família de Carlinhos, ele sempre foi uma criança gordinha e somente aos 15 anos começou a ganhar mais peso. Porém, nos últimos dois anos, esse ganho aumentou muito e chegou a somar mais de 200 kg. Também sabe-se que o jovem tem uma deficiência cognitiva, mas o distúrbio mental ainda não foi classificado pelos médicos.


Segundo a equipe médica do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de
Pernambuco (UFPE), Carlinhos precisa perder pelo menos 25% de seu peso para passar por uma cirurgia bariátrica. Os médicos afirmam que ele não tem condições clínicas para suportar o pós-operatório com este peso. Por isso, um tratamento multidisciplinar de perda de peso está sendo iniciado, e a previsão é que o processo dure pelo menos seis meses.

0 comentários:

Postar um comentário