20 de outubro de 2016

CABO DA PM E MAIS CINCO SÃO PRESOS EM FLAGRANTE ATUANDO EM FALSA BLITZ NO RN

Um cabo da Polícia Militar e outras cinco pessoas foram presos na noite desta quarta-feira (19) suspeitos de estarem realizando uma falsa blitz e extorquindo dinheiro de moradores no distrito de Dom Marcolino, no município de Maxaranguape, litoral Norte do estado. Além dos detidos, foram apreendidos o carro da PM que o cabo estava usando, coletes e fardas policiais, cinco armas de fogo e cones que foram utilizados na fiscalização montada pelo grupo.
 
 
 
 
Material usado na falsa blitz foi apreendido e levado a Delegacia de Plantão da Zona Norte de Natal  (Foto: PM/Divulgação)
 
 
O cabo foi identificado como Jailson Félix de Lima, lotado da cidade de Lajes, na região Central potiguar. Ele tem 16 anos de corporação.
 
 
 
Segundo o delegado Natanion de Freitas, um dos titulares da Delegacia de Plantão da Zona Norte de Natal, a barreira foi montada por volta das 15h. “Todos estavam vestidos com roupas de policiais, extorquindo dinheiro das pessoas que eram paradas nessa falsa blitz. O grupo foi denunciado e a PM de Maxaranguape foi averiguar o que estava acontecendo. Ao verificarem que se tratava de uma fiscalização irregular, os policiais trouxeram o grupo e todo o material que estava com eles aqui para a delegacia”, relatou.
 
 
 
Ainda de acordo com o delegado, o cabo da PM preferiu ficar calado. “Ele invocou o direito constitucional de ficar em silêncio e só vai falar em juízo. Os seis foram autuados por extorsão e associação criminosa, e todos também irão responder por porte ilegal de arma de fogo”, acrescentou Natanion.
 
 
 
De acordo com o tenente-coronel Arthur Emílio, da assessoria de comunicação da Polícia Militar, o cabo ficará detido no quartel do Comando Geral da PM, no bairro Tirol, Zona Leste da capital. "Iremos instaurar uma sindicância administrativa para apurar os fatos. Caso seja comprovada a participação dele nestes crimes, ele pode até ser expulso da corporação", ressaltou o oficial.
 

Foto: PM/Divulgação.

0 comentários:

Postar um comentário